Chile vai pedir empréstimo para reconstrução depois de tragédia

Presidente de país atingido por terremoto estimou que recuperação levará até 4 anos

A presidente do Chile, Michelle Bachelet, admitiu nesta quinta-feira (4) que o governo deverá recorrer a empréstimos internacionais para reconstruir o país, atingido por um terremoto de 8,8 graus na escala Richter no último sábado (27).

O tamanho do financiamento necessário ainda não foi definido. Bachelet, que fica no poder até o dia 11 de março, quando o presidente eleito, Sebastián Piñera, assume o cargo, também disse que a reconstrução do país pode levar até quatro anos. Em entrevista à rádio local ADN, a governante afirmou

- Acredito que (a reconstrução do país demorará) praticamente todo o próximo governo (4 anos) ou pelo menos 3 anos. É um terremoto devastador. O próximo ministro da Fazenda chileno, Felipe Larraín, disse nesta quarta-feira (3) que estava estudando diferentes opções para levantar fundos para reconstruir a infraestrutura do Chile.

Segundo analistas, o governo pode também recorrer a reservas alcançadas com recursos da exploração do cobre. O Chile é o maior produtor mundial do minério. Estimativas iniciais dão conta de que os prejuízos causados pelo terremoto podem chegar a R$ 53 bilhões (US$ 30 bilhões).

Tremor causou tsunami e matou mais de 800 pessoas O terremoto de 8,8 graus na escala Richter atingiu principalmente o centro-sul do Chile, causou tsunamis que varreram diversas cidades do litoral e matou, até o momento, 802 pessoas. Na última terça-feira (2), a Marinha chilena admitiu que falhou ao não manter o alerta de tsunami para o litoral do país por mais tempo. Testemunhas dizem que diversas pessoas que tinham buscado refúgio em locais altos acabaram mortas pelas ondas gigantes depois de terem voltado às suas casas.

Fonte: R7, www.r7.com