Choque de helicópteros deixa dez mortos na Argentina, incluindo campeã olímpica francesa

Florence Arthaud tinha 57 anos, Camille Muffat, 25, e Alexis Vastine, 28.

A velejadora Florence Arthaud, a nadadora Camille Muffat e o lutador de boxe Alexis Vastine figuram entre os oito franceses que morreram nesta segunda-feira (9) na Argentina, após o choque de dois helicópteros que gravavam o "reality" Dropped, informaram as autoridades argentinas.

Além dos franceses, que participavam da filmagem de um reality show de sobrevivência do canal de televisão da França TF1, também morreram dois pilotos argentinos.

"A empresa Dropped divulgou a lista dos mortos no acidente", entre os quais se destacam Muffat, campeã nos Jogos Olímpicos de Londres 2012, o pugilista Vastine, medalha de bronze nas Olimpíadas de Pequim-2008, e Arthaud, uma veterana navegadora conhecida na França como "a namorada do Atlântico", revelou o governo da província de La Rioja.

Florence Arthaud tinha 57 anos, Camille Muffat, 25, e Alexis Vastine, 28.

Os outros cinco franceses que morreram no acidente foram identificados pelas autoridades argentinas como Laurent Sbasnik, Lucie Mei-Dalby, Volodia Guinard, Brice Guilbert e Edouard Gilles.

O presidente Francois Hollande expressou "seu espanto e comoção" ao ser informado do acidente, na madrugada desta terça-feira (10). "O desaparecimento brutal de nossos compatriotas significa uma imensa tristeza".

 As autoridades argentinas ainda desconhecem as causas do acidente e estão no local para realizar as investigações.

O acidente aconteceu por volta das 17h (mesmo horário de Brasília), na localidade de Villa Castelli, uma área montanhosa de céu aberto na província de La Rioja, 1.100 km ao noroeste de Buenos Aires.
Os dois helicópteros foram emprestados por governos locais para a produção do reality show. Segundo a rádio local Fenix, havia cinco pessoas em cada aeronave, sendo quatro franceses e um piloto argentino por veículo.
 
"Estavam fazendo um reality de sobrevivência, motivo pelo qual entre as vítimas estão os concorrentes que voavam sobre Quebrada El Yeso e Quebrada Condado", uma área remota da província, "ideal para experiências extremas por suas características", explicou à "AFP" o jornalista Aldo Portugal, da rádio "Fenix".

Falando de Villa Castelli para rádios locais, testemunhas relataram que os helicópteros se chocaram quando as condições climáticas eram ótimas para voar. Jornais da região divulgaram fotos dos dois helicópteros em chamas.

Segundo o portal on-line riojano "DataRioja", as equipes técnicas filmaram a primeira parte das provas entre 23 e 27 de setembro, em Villa Castelli.

À noite, os corpos ainda não haviam sido retirados da área do acidente, motivo pelo qual a zona precisou ser iluminada. "Devem continuar trabalhando até tarde", disse à AFP uma fonte policial.

Estão no local a juíza Virginia Illanes, funcionários da Gendarmeria (Polícia Militar) e da Polícia provincial. Espera-se a chegada de pessoal da Força Aérea, encarregada de atuar quando ocorrem acidentes aéreos.

"Estamos fazendo a perícia prévia ao resgate dos corpos [...] Depois do traslado dos corpos, faremos sua identificação" no necrotério de Villa Unión, um povoado situado a 37 km de Villa Castelli, disse à AFP o chefe da Polícia de La Rioja, Luis Páez.

"Mais de quatro horas após a colisão, ainda há combustão e se vê fumaça subindo dos aparelhos", relatou o oficial de polícia, cercado de ambulâncias, médicos e bombeiros.

O helicóptero da província de La Rioja "é um Eurocopter com capacidade para seis pessoas que se chocou no ar, pouco depois de decolar, com outra máquina similar, da província de Santiago del Estero", explicou o governo provincial.

Fonte: Uol