Chuva aumenta dificuldade em se conseguir táxis que tem frota abaixo da demanda

Chuva aumenta dificuldade em se conseguir táxis que tem frota abaixo da demanda

Hoje, Teresina tem 1.556 taxistas com alvará, que lhes permite trafegar pela cidade

A frota de táxis de Teresina não é atualizada há mais de dez anos e há algum tempo já não atende mais a demanda da capital. O assunto foi tema de reportagem publicada no Jornal Meio Norte, neste mês, que mostrou que a capital tem hoje um déficit de mil táxis, o que dificulta a vida de quem se utiliza desse tipo de transporte. O quadro se agrava, no entanto, em dias chuvosos, quando muitos profissionais desistem de trafegar por determinadas regiões da cidade por conta dos alagamentos e buracos pelas ruas.

O taxista Valmir Paz conta que alguns bairros da cidade ficam intrafegáveis em dias de chuva e que sair da base para pegar um cliente é sinônimo de prejuízo. ?Alguns bairros alagam e não temos como chegar até eles, tanto aqueles que todos já reclamam, na zona Leste da cidade, como outros também mais afastados. Além disso, os buracos são muitos e se colocarmos o carro nessas ruas é prejuízo certo. Com isso, o serviço acaba demorando mais e os clientes tem que esperar?, lamentou.

Com isso, desde o início do ano, os transtornos para quem necessita desse tipo de serviço tem sido grandes. A administradora de empresas, Ludmila Oliveira, conta que já se irritou bastante este ano, em dias chuvosos em que teve que sair de táxi. ?Nos dias de chuva, os táxis não querem parar para não pegar as pessoas molhadas e isso causa um transtorno. Muitos acabam aproveitando para cobrar a corrida mais cara, sem usar o taxímetro, o que é um abuso e vai contra a lei do consumidor?, reclamou.

Hoje, Teresina tem 1.556 taxistas com alvará, que lhes permite trafegar pela cidade. A atual frota, de 1.556 táxis, que tem alvará renovado anualmente em Teresina, não é atualizada há mais de dez anos, segundo informou o diretor de Transportes Públicos da Superintendência Municipal de Transportes e Trânsito (Strans), Ricardo Freitas. Ele informou ainda que a legislação que regulamenta esse serviço na cidade é do ano de 1985 e se encontra desatualizada. Para tentar resolver esses problemas, a Strans irá realizar uma revisão em todo o processo de regulamentação desse serviço na capital.

Fonte: Pollyana Carvalho