Chuva deixa mais de 6,8 mil pessoas fora de casa no Rio Grande do Sul

Chuva deixa mais de 6,8 mil pessoas fora de casa no Rio Grande do Sul

Pinhal, no Litoral Norte, é a mais recente da lista, segundo Defesa Civil. Ao menos 13 municípios encaminharam decretos de emergência.

O Rio Grande do Sul tem 6,8 mil pessoas prejudicadas pela chuva que atinge parte do estado neste final de semana, conforme boletim divulgado na manhã deste domingo (29) pela Defesa Civil Estadual. O número é superior aos 6,7 mil que havia sido contabilizados até o final da tarde de sábado (28). O total de cidades atingidas chega a 55, uma a mais que o levantamento anterior.

A cidade de Pinhal, no Litoral Norte, é a mais recente da lista. Ao todo, 30 pessoas estão desalojadas no município.

De acordo com o órgão, o estado já tem 2.395 moradores desabrigados, que foram encaminhados a ginásios, centros comunitários e albergues disponibilizados pelo poder público. Já o total o número de desalojados, que estão abrigados em casas de amigos e familiares, chega a 4.414 pessoas.

Prefeituras decretam emergência

Ao menos 13 municípios atingidos por enchentes encaminharam decretos de emergência à Defesa Civil gaúcha. A relação das prefeituras que informaram a condição inclui Alpestre, Cristal do Sul, Chiapeta, Iraí, Vicente Dutra, Barão do Cotegipe, Erval Grande, Caiçara, Cerro Grande, Crissiumal, Derrubadas, Getúlio Vargas e Tiradentes do Sul. Mas de acordo com a Defesa Civil, todos os pedidos só serão homologados próxima semana.

A prefeitura de Iraí, também no Norte, decretou estado de calamidade pública. O município, que fica na divisa com Santa Catarina, é o mais atingido pela chuva. Mais de 1,3 mil pessoas seguem fora de casa. De acordo com a Defesa Civil, pelo menos 400 pessoas estão desabrigadas e 900 estão desalojadas no município. Na manhã de sábado (28), uma nova vistoria na ponte que liga a cidade à Santa Catarina descartou a liberação do trecho.

A Defesa Civil indicou que o nível do Rio Uruguai está 17 metros acima do normal. Já segundo a empresa que cuida da obra na ponte, o nível do rio está 19 metros acima do normal.

Em Mostardas, no sul do estado, moradores realizam um protesto devido ao alagamento de propriedades após o rompimento de uma barragem. Manifestantes dizem que a represa vazou por volta de 22h, seis horas após o início da chuva. Segundo informações da Brigada Militar, cerca de 15 famílias tiveram propriedades atingidas pela água. O Corpo de Bombeiros diz não ter registros de vítimas fatais, e que ninguém precisou ser removido.

A previsão do tempo para domingo (29) é que a chuva continue, mas perca força. Pela manhã, vai chover sobre todo o Rio Grande do Sul, com pancadas mais intensas na Região Central do estado. A partir da tarde, a chuva começa a perder força e se concentra em todo o Centro e Leste gaúcho. Entretanto, as temperaturas entram em declínio.

No sábado, prefeitos de 46 municípios afetados participaram de uma reunião organizada pelo governo do Estado em busca de um plano de ação para os municípios atingidos pela chuva. No encontro, o Palácio Piratini prometeu apoio com ampliação de microcrédito e reforço no maquinário para a execução de obras de emergência.

Fonte: G1