Chuva não atrapalha réveillon no Litoral

O alpendre de uma casa desabou ferindo duas pessoas que tiveram ferimentos leves

Em meio aos fotos de artifícios que brilharam no céu, brindes de champangne e muita alegria, nem mesmo a chuva inesperada atrapalhou a festa de réveillon em Barra Grande, a 70 quilômetros de Parnaíba, interior do Piauí. Mais um incidente foi registrado foi registrado na virada do ano. O alpendre de uma casa desabou ferindo duas pessoas que tiveram ferimentos leves.

Centenas de turistas de várias partes do país escolheram a acolhedora cidade para passar a virada do ano e dar as boas-vidas a 2010. A grande atração da noite foi o show de Nazi, vocalista da banda Ira, que logo pela manhã fez questão de conhecer a cidade e vários fãs aproveitaram para tirar fotos com o ídolo. Um deles foi o professor Francisco Reinaldo que não escondeu sua felicidade ao lado do cantor. ?Ele é um dos grandes ícones do rock-pop brasileiro dos anos 80?, resume.

A estudante de Serviço Social Juçara Bonifácio, que passou o ano novo em Barra Grande, também teve seu momento de tietagem com Nazi. ?Aproveitei para registrar o momento e tirei uma foto com ele?, conta a jovem.

Mas como já era de se esperar, Barra Grande não teve capacidade suficiente para atender a grande demanda de visitantes nesta época de alta estação. O resultado não poderia ser outro, ou seja, pouasadas lotadas, falta de energia e os poucos bares não comportavam o volume de turistas.

Alguns moradores aproveitaram o período para lucrar, alugando casas. Raimundo Rosa, por exemplo, alugou um de seus imóveis para um grupo de 30 pessoas ao preço de R$ 800,00 por quatro dias.

Ele disse ainda que outro imóvel inferior ao seu foi alugado também por R$ 1.000,00. Já um chalé chegava a custar R$ 1.500,00 nesta época do ano.

Os barraqueiros também fizeram a festa nesta virada do ano. Um dos pointes de Barra Grande e mais movimentado foi a barraca do Assis. Correndo como nunca, ele teve que se desdobrar para servir os fregueses que não dispensavam a cerveja gelada que custava R$ 3,50, além dos tira-gostos de caranguejo, já que a corda com 4 era vendida ao preço de R$ 8,00.

Os ambulantes vendiam um saco com 16 camarões por R$ 5,00,com direito ao limão. Para quem curte uma aventura, a boa foi levar sua barraca de camping e ficar alojado na própria praia de Barra Grande apreciando a brisa do mar ao lado de amigos.

Mas antes mesmo da meia-noite, uma forte chuva anunciava a força do período chuvoso deste ano. Pouco tempo depois, as pessoas começaram a lota as barracas na praia a espera de 2010. Vestidos de branco para pedir paz, levando champangne para brindar ao ano novo e romãs para fazer as tradicionais simpatias, os turistas e moradores de Barra Grande começaram a usar os celulares para telefonar para parentes e amigos distantes para desejar um ano novo repleto de saúde, paz e esperança.

E após a contagem regressiva, eis que os fogos de artifícios anunciaram a chegada de 2010 para alegria de todos que se abraçaram e se beijaram em meio a uma leve chuva que veio junto com o ano novo.

Fonte: Gilson Rocha, Jornal Meio Norte