Chuva provoca deslizamentos e soterramentos em Angra dos Reis

Na Praia do Bananal, uma pousada foi atingida por um deslizamento, mas a Defesa Civil não confirma se o soterramento é parcial ou total

A chuva que cai desde a quarta-feira (30) em Angra dos Reis, na Costa Verde do estado do Rio de Janeiro, provocou estragos na cidade.

Houve deslizamentos em diferentes partes do município, entre elas o Morro da Carioca, na região central da cidade, e na Praia do Bananal, em Ilha Grande. Equipes de resgate estão em ambos os locais.

Na Praia do Bananal, uma pousada foi atingida por um deslizamento, mas a Defesa Civil não confirma se o soterramento é parcial ou total, nem se há vítimas. No Morro da Carioca, a prefeitura de Angra aponta que há casas soterradas.

A Defesa Civil da cidade mobilizou 80 homens para tentar atender a cerca de 150 chamados, entre deslizamentos e quedas de árvores. No fim da tarde de quinta-feira (31), o município já havia entrado em estado de emergência, mas, na manhã desta sexta-feira (1º), a prefeitura ainda avaliava a exata extensão dos danos.

Por causa dos estragos provocados pela chuva, o prefeito da cidade, Tuca Jordão, decretou luto por três dias e cancelou toda a programação do final de ano, entre elas a tradicional procissão marítima que aconteceria nesta sexta. A festa pelos 508 anos de Angra, que seria comemorada no próximo dia 6, também foi cancelada.

O sub-secretário de Defesa Civil do estado do Rio, Pedro Machado, está a caminho de Angra.

Rio-Santos

Uma queda de barreira na madrugada desta sexta-feira (1º) interdita a rodovia Rio-Santos, na altura de Paraty, no litoral Sul Fluminense. Segundo a Polícia Rodoviária Federal (PRF), a via encontra-se fechada nos dois sentidos.

O deslizamento aconteceu por volta das 2h, no trecho do 583 km. Equipes encontram-se no local para tentar solucionar o problema.

A Estrada do Contorno, que dá acesso a algumas das principais praias de Angra, também está interditada.

19 mortos no estado

As chuvas causaram 19 mortes no estado entre os dias 30 e 31 de dezembro. Em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense, um dos municípios mais afetados, mais de 1.800 pessoas estão fora de suas casas. Uma criança de 7 anos morreu no bairro de Jardim Gramacho.

Segundo a Defesa Civil estadual, morreram também 5 pessoas na Praça Seca, em Jacarepaguá, na Zona Oeste; 2 em Cascadura, 2 em Irajá, 2 em Vaz Lobo, no subúrbio; 2 em Magé, 1 em São João de Meriti e 2 em Belford Roxo, na Baixada Fluminense; e 2 em Niterói, na Região Metropolitana.

Fonte: g1, www.g1.com.br