Cidadãos precisam madrugar em fila para conseguir atendimento no TRE

O transtorno não está deixando os eleitores satisfeitos.

CONFIRA A REPORTAGEM COMPLETA NA EDIÇÃO DESTA SEXTA-FEIRA (16) DO JORNAL MEIO NORTE

Utilizar serviços que são direitos do consumidor estão causando uma tremenda dor de cabeça no teresinense que deseja resolver pendências junto à Justiça Eleitoral. Para conseguir atendimento no Cartório Eleitoral, localizado no cruzamento das ruas Coelho Rodrigues e 24 de Janeiro, os cidadãos precisam chegar de madrugada para disputar uma das 60 senhas de atendimento entregues diariamente pelo órgão. O transtorno não está deixando os eleitores satisfeitos.

Todos os dias, a fila começa a se formar aproximadamente às três horas da manhã e a todo instante chegam mais pessoas. O motorista Carlos Kennedy percorreu mais de 1.000 quilômetros para tirar a 2ª via do Título Eleitoral e se surpreendeu com o tamanho da fila. "Já havia sido informado que as filas eram grandes e vim de madrugada. Mas não imaginava que era desse jeito. Cheguei quatro da manhã e já tinha gente esperando", diz. Além do desconforto de se deslocar de madrugada para o Centro da cidade e esperar horas ao relento, o cidadão coloca a vida em risco ao disputar a área com moradores de rua, viciados em drogas e menores infratores. O risco de assalto é iminente e, desamparada, a população não tem a quem recorrer.

A reportagem do Jornal Meio Norte acompanhou parte do andamento da fila. Às 4h30 da manhã, dez pessoas já estavam no local. Meia hora depois, o número havia dobrado. Aproximadamente às 5h30 - horário que há mais ônibus circulando e, consequentemente, permite o deslocamento de mais pessoas - cerca de 40 pessoas se aglomeravam em frente ao TRE. Às 6h da manhã, a fila dobrava o quarteirão e se aproximava da Praça João Luís Ferreira, não havendo mais vagas disponíveis para atender as 60 senhas distribuídas pelo Cartório Eleitoral.

"Hoje é um dia bom. Ontem cheguei aqui seis horas da manhã e já tinha mais de 70 pessoas na fila. Por isto, não quis arriscar e cheguei às 3h. Neste caso, foi melhor pecar por pontualidade do que por atraso", relata o estudante Ávila Miqueias. Ele foi o primeiro a chegar na fila na madrugada de quinta-feira.

O Título de Eleitor está entre os documentos mais importantes. Além de comprovar que o cidadão está apto a votar, o título e os comprovantes de votação são exigidos em várias situações, como na contratação para trabalhos formais, tirar ou renovar documentos como passaporte ou CPF, conseguir financiamentos, efetuar matrícula em colégios e faculdades, vender imóveis, participar em concursos e assumir cargos públicos.



Clique e curta o Portal Meio Norte no Facebook

Fonte: Olegário Borges