Cidade está há 1 ano e 3 meses sem água no Rio Grande do Norte

Entre estas medidas estão os carros-pipa, porém insuficientes, segundo a população

No Alto do Oeste do Rio Grande do Norte, o município de Luis Gomes (442 km de Natal) vive colapso no abastecimento de água. Seus quase dez mil moradores estão há um ano e três meses sem água nas torneiras.

O problema começou em outubro de 2011, quando o açude Dona Lulu Pinto, manancial que abastecia o município, secou. De lá para cá, medidas emergenciais vem sendo tomadas pelo município, Estado e governo federal.





Entre estas medidas estão os carros-pipa, porém insuficientes, segundo a população. "Toda vez que tem carro-pipa com água aqui é um verdadeiro corre-corre. Como todo mundo quer água, já houve até briga", comentou a dona de casa, Francisca da Costa, 51.

Ela acrescentou que, por conta do calor, os netos pedem para tomar mais banhos durante o dia, porém, é impossível por conta da escassa água. "À água que as autoridades mandam nem sempre dá. Então, quem tem dinheiro paga para o pessoal que também vende água. Acontece que nem sempre você está com um trocado em casa".

O comerciante Antônio Nunes, 68, acredita que a disputa pela água era grande no início, mas hoje a população já entende a necessidade de cada um regrar a água que tem dentro de casa. "Com o tempo, vamos aprendendo que é preciso sujar menos louça, tomar banho com moderação e quando dá".

Colapso

Por conta do colapso no abastecimento, em um ano foram distribuídos mais de 300 mil litros de água, provenientes das ajudas do município, Estado e governo Federal. A água é distribuída dia e noite pelas mais de duas mil casas do município.

O recém-empossado prefeito de Luís Gomes, Francisco Tadeu Nunes (PPS), disse que o município é o mais sofrido da região do Alto Oeste, mas outras localidades da região também ficam sem água vez por outra.

"O açude de Luís Gomes entrou em colapso e o município também. A zona rural é a mais prejudicada. Um total de 80%, só de plantação, ficou perdido, os gados morreram e a previsão dos institutos de clima não são as melhores. Teremos janeiro e fevereiro sem chuvas e a possibilidade de uma seca ainda pior que a anterior", destacou o prefeito.

Parceria

A expectativa da prefeitura e da população é a adutora do Alto Oeste, cuja obra ficou paralisada por dois anos, e era para ser concluída em dezembro passado. "Temos fé de que a adutora ? quando estiver concluída - resolverá definitivamente nossa situação", afirmou o prefeito.

O secretário de Meio e de Recursos Hídricos do Estado do Rio Grande do Norte, Gilberto Jales, disse que a adutora está sendo construída através de parceria entre o governo do Estado e o Federal para abastecer 26 municípios da região do Alto Oeste e que estará concluída no final deste mês.

"A obra ficou um tempo parada por falta de recursos, mas foi retomada e estamos dando prioridade ao trecho que passa pelo município de Luís Gomes".

Fonte: UOL