Município tem 50 casos de malária em 10 dias no Piauí

A Secretaria de Saúde do Estado informou que foram notificados 50 casos da doença

O município de Campo Largo do Piauí, localizado a 175 km ao Norte do estado, está em alerta devido a um surto de malária, instalado entre os dias 20 e 30 de Maio. De acordo com informações da Secretaria da Saúde do Estado - Sesapi, no período de 10 dias foram notificados 50 casos da doença, com 10 já confirmados por exames. A coordenadora de epidemiologia da Sesapi, Amélia Costa, afirma que a concentração da doença está principalmente na zona rural do município, especificamente nas comunidades de Vermelha e Carnaúba e os indivíduos do sexo masculino foram os mais atingidos.

A coordenadora explica como pode ter surgido este surto, visto que o município enfrentou algo parecido no ano de 2008. ?Devido a outro surto, o município pode ser considerado um local de risco para a doença. Nas localidades onde aconteceu a maior parte dos casos, os agricultores, em maior parte homens, ao fim do trabalho seguem para se banhar nos rios e açudes da região, entre os horários de 18 e 20 horas, mais propícios à concentração do mosquito transmissor?.

Amélia Costa assegura que a partir da notificação do primeiro caso suspeito, a Secretaria logo encaminhou equipe ao local para a realização de exames, investigação, educação preventiva e ações de combate ao mosquito. Os pacientes diagnosticados já receberam a medicação e alcançaram rápida diminuição dos sintomas. ?A partir da aplicação dos medicamentos, o paciente começa a apresentar melhoras em até uma semana?, afirma.

Dos casos identificados, ainda não houve necessidade de tratamento por internação e existem baixos riscos de se espalhar por cidades vizinhas, concentrando-se apenas em Campo Largo. Com o intuito de controlar a malária, estão sendo realizados exames biológicos nas pessoas com sintomas suspeitos, busca ativa em residências, além de ações educativas nas escolas e postos de saúde e a borrifação de inseticida contra o mosquito transmissor, Anopheles stephensi. Até agora 276 residências já receberam o produto.

Os principais sintomas da doença são febre alta, calafrios, palidez, tremores e dor pelo corpo. A coordenadora de epidemiologia orienta as medidas diante do surgimento de qualquer sintoma, que é buscar imediatamente a Unidade de Saúde preparada para atender a doença. As medidas preventivas são evitar os banhos em riachos, córregos, lagoas e açudes no período noturno e ficar atento aos sintomas.

Fonte: Samira Ramalho