Cobras: Maiores vítimas do fogo no PI

As queimadas aumentaram também nas regiões de Teresina, Palmeirais, Amarante e União

O Parque Nacional Serra das Confus?es possui 230 mil hectares em toda sua extens?o e quando o fogo se espalhou muitas esp?cies foram destru?das pelo fogo, principalmente as cobras. Elas morrem com 60 graus

Celsius. ?As cobras s?o mais sens?veis ?s altas temperaturas?, declarou Francisco Censo Medeiros, coordenador estadual do Prev-Fogo. Medeiros afirmou que neste ano a maioria das queimadas foi registrada na regi?o da fronteira agr?cola da soja nos munic?pios de Uru?u?, Currais e Bom Jesus.

As queimadas aumentaram tamb?m nas regi?es de Teresina, Palmeirais, Amarante e Uni?o, onde a Comvap (Companhia do Vale do Parna?ba) e pequenos produtores de cana-de-a?car promovem queima das planta?es

para o corte. As regi?es do Gurgu?ia, da planta??o de soja e de pecu?ria, onde os pastos s?o queimados para rebrotar, como as de Corrente, Cristal?ndia e Parnagu?.

O fogo segue a trilha dos investimentos no agroneg?cio, que promove desmatamento e queimada dos troncos e galhos que s?o amontoados no

meio das planta?es e depois destru?dos pelo fogo ateado pelos produtores da regi?o e seus empregados.

?Eu fico muito bravo quando algu?m diz que o Piau? n?o produz. O Piau? ? uma das mais importantes fronteiras agr?colas da atualidade por causa dos Cerrados piauienses. A regi?o do Centro-Sul do Piau? est? se tornando um grande campo de soja, um grande campo de cultura de gr?os. O que acontece? ? uma terra boa para plantar isso, tem muitas multinacionais, como a Bunge, por exemplo, que se instalam na regi?o e t?m muitos produtores rurais ampliando ?reas de plantio na regi?o?, falou o coordenador da ONG, Leonardo Sakamoto, que se dedica ao combate do trabalho escravo e crimes ambientais como desmatamento e queimadas, que est?o muito relacionadas na abertura de

novas ?reas agr?colas.

Fonte: Efrém Ribeiro, Jornal Meio Norte / meionorte.com