Codevasf mantem uma importante atuação no Estado do Piauí.

Codevasf mantem uma importante atuação no Estado do Piauí.

Um de seus marcos foi quando o Vale do Rio Parnaíba entrou para a área de atuação da Companhia.

A Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf) tem mantido uma importante atuação no Estado do Piauí. Um marco nesses trabalhos foi quando o Vale do Rio Parnaíba entrou para a área de atuação da Companhia, no ano de 2001. E foi nesse ano que as riquezas do Estado passaram a ser mais bem valorizadas, mais bem vistas, principalmente, as que se concentram ao redor do ?Velho Chico?, as que derivam dele.

É justamente o rio Parnaíba que agrega todo um complexo de riquezas e diversidade social e cultural. ?São essas riquezas que vão ao encontro da nossa missão?, destaca Ocelo Rocha, gerente de Revitalização da Bacia do Rio Parnaíba, da 7ª Superintendência Regional da Codevasf, que completa: ?ao longo de seus quase 1.500 quilômetros, e área territorial equivalente à metade da bacia do São Francisco, o Vale do Parnaíba passa por estados ainda muito carentes de infraestrutura. E, apesar da nossa "bagagem" na implantação de projetos de irrigação, inicialmente não foi esse o nosso foco principal ao chegarmos no Piauí?, disse.

Ainda de acordo com Ocelo, mesmo com uma vasta experiência como empresa de irrigação, a Codevasf, no caso do Vale do Parnaíba, mais especificamente o Piauí, percebeu que a realidade local orientava que antes de ações na área de irrigação, era preciso priorizar a recuperação de estradas, abastecimento d?água, energia elétrica, barreiros para acumulação de água nos períodos secos, por fim, toda uma infraestrutura. ?Só assim, lastreados por um diagnóstico da região, passaríamos a atuar em esferas produtivas?, conta.

Dentro dessa proposta, nos nove anos de atuação da Codevasf - 7ª Superintendência Regional, grandes obras estruturantes, seja diretamente ou através de convênios, foram realizadas, como as Barragens de Palmas, em Massapê, Barreiro e Grogotó, em Jaicós, e Gato, em São João do Piauí, além da construção ou recuperação de mais de 1.200 quilômetros de estradas vicinais, em praticamente todos os municípios piauienses.

Entre outras obras, a Codevasf também está presente na execução da etapa inicial da ponte que ligará o município de Luzilândia, no Piauí, a São Bernardo, no Maranhão, possibilitando, entre outras coisas, o escoamento dos produtos com maior rapidez ao porto de Mearim, no Estado do Maranhão, bem como, o acesso turístico aos lençóis maranhenses.

Diversas pontes e passagens molhadas, com participação ativa da Codevasf, também estão fazendo a interligação entre comunidades, municípios ou até mesmo estados, contribuindo para o desenvolvimento do Piauí. A ponte sobre o rio Sambito, na rodovia PI-225, trecho entre a BR-316, São Miguel da Baixa Grande, São Félix do Piauí e Santa Cruz dos Milagres, antiga reivindicação popular, que possibilitou o acesso de milhares de pessoas a um importante centro religioso do Piauí, o município de Santa Cruz dos Milagres, onde está o segundo maior santuário do Nordeste.

Outras obras também contribuindo para o bem estar do povo piauiense. Com a participação da Codevasf, a pavimentação asfáltica de importantes rodovias do estado, com destaque para o trecho da PI-144, beneficiando os municípios de São Raimundo Nonato, São Lourenço do Piauí, Bonfim do Piauí, São Braz do Piauí, Anísio de Abreu, Várzea Branca, Jurema, Caracol, Guaribas, Morro Cabeça no Tempo, Curimatá e Avelino Lopes, além da PI-397 à Transcerrado, ligando Bertolínea, Sebastião Leal e Uruçuí, e da PI-115, ligando os municípios de Castelo do Piauí a São Miguel do Tapuio. (F.M.)

Projetos que garantem uma melhor perspectiva aos municípios piauienses

Além dos já citados, outros diversos projetos puderam ser implementados, aumentando as perspectivas não somente de municípios, como também de regiões inteiras, destacando-se, entre outros: o projeto de Irrigação de Marrecas, em São João do Piauí.

Por lá, um poço que jorrava há mais de 20 anos, foi contido e passou a atender de forma racional um dos mais antigos assentamentos da reforma agrária do Estado do Piauí. A ideia foi não somente abastecer as famílias, mas também gerar renda. Então, foi implantada uma área piloto, atualmente, com cerca de 30 hectares, totalmente irrigados pela pressão do poço Capim Grosso.

Como experiência, a Codevasf tem hoje implantados seis hectares de uvas, atendendo 10 famílias. O resultado foi tão bom que em 2009, o Governo do Estado realizou dois grandes festivais, o Festival da Uva, de São João do Piauí, mobilizando e estimulando toda a região, merecendo a São João o título de capital piauiense da uva.

Além de São João do Piauí, a Codevasf possui quatro grandes projetos na busca do fortalecimento dos Arranjos Produtivos Locais: a Ovinocaprinocultura, a Aquicultura e Pesca, a Cajucultura e a Apicultura. Além disso, dois outros importantes projetos: o de Desenvolvimento Florestal e o de Revitalização da Bacia do Rio Parnaíba. (F.M.)

Codevasf: presente e futuro

São muitos os projetos e programas, visando não somente os municípios, mas também micro e macrorregiões, onde estão inseridos. ?Em linhas gerais, a Codevasf pretende dar sequência com o apoio a esses projetos, e como meta mais recente, fortalecer a atração de investidores internos e externos nas áreas de fruticultura irrigada, piscicultura, agroindústria, principalmente no envolvimento dos APLs apoiados?, destaca Ocelo.

O gerente também faz questão de destacar o apoio à agricultura familiar, voltando-se tanto para a melhoria da qualidade alimentar, como para a criação de pólos de comercialização do excedente. ?Para isso, já estamos desenvolvendo e fomentando algumas experiências com pequenos kits de irrigação familiar, onde os resultados têm sido bastante satisfatórios?, finaliza. (F.M.)

Fonte: Flávio Moura