Presidente João Goulart tem segundo enterro em jazigo no Rio Grande do Sul

Populares que assistiam ao segundo enterro pediram para participar. Eles depositaram pequenos pedaços de cimento sobre o túmulo da família.

Os restos mortais do ex-presidente João Goulart foram devolvidos ao jazigo da família na tarde desta sexta-feira (6) em São Borja, na Fronteira Oeste do Rio Grande do Sul. Familiares de Jango e autoridades políticas removeram a bandeira do Brasil que cobria a urna no último contato com a urna fúnebre. A polícia permitiu o acesso da população ao interior do cemitério, e moradores pediram para participar, depositando pequenas quantidades de cimento sobre o túmulo como forma de homenagem ao líder político.

Pouco depois das 17h, funcionários da prefeitura lacravam o túmulo. A comoção também levou alguns a subirem sobre outros túmulos próximos ao do Jango para observar o sepultamento. As autoridades políticas presentes voltaram a entoar gritos de "Jango, Jango".



A emoção de João Vicente Goulart ao discursar antes do segundo enterro do pai, o ex-presidente João Goulart, marcou a missa de corpo presente realizada na Igreja Matriz mais cedo. Em tom formal, o filho do líder deposto pela ditadura militar leu um discurso que foi ovacionado. Ao final, gritou: "Meu pai Jango, vá em paz. A democracia venceu".

A ministra da Secretaria Especial dos Direitos Humanos, Maria do Rosário, discursou e elogiou a postura de São Borja diante dos trabalhos de exumação e devolução dos restos mortais de Jango ao jazigo da família. "Nos sentimos honrados. É mais uma bela homenagem a quem ainda procura desaparecidos políticos. Esta cidade honra o Brasil. O que está acontecendo aqui tem um objetivo: para que nunca mais exista uma ditadura no país", afirmou.



Ao contrário do que ocorreu na cerimônia no aeroporto, militares não estiveram presentes na missa. "Não estranho", disse João Vicente rapidamente antes de deixar a igreja. "Quero agradecer a presença das Forças Armadas na recepção ao meu pai", completou.

Moradores de São Borja e outros familiares de João Goulart participam da missa. Estão na cidade a viúva de Jango, Maria Thereza Goulart, a filha Denise e dos netos João Marcelo e Vicente.

Após um princípio de tumulto com a multidão e uma breve restrição ao acesso para evitar superlotação, a Brigada Militar liberou a entrada da comunidade que acompanha a cerimônia.

Ainda antes do evento, o padre Alvano Freitas ressaltou a importância da celebração e disse que se trata do evento religioso mais importante de sua vida. Segundo ele, será a missa mais importante de todos os seus anos na Igreja Católica. ?Para nós é uma honra muito grande, já que ele foi um presidente deposto injustamente. Queremos que este gesto reforce o regime democrático de direito e que nunca mais alguém se atreva a comprometê-lo?, salientou.

Além de Alvano, o padre Irineu Machado também foi responsável pela cerimônia. Outros familiares de Jango também estiveram presentes, como o neto Christopher Goulart, e filha Denise Goulart, e a ex-mulher do ex-presidente, Maria Thereza Goulart.

Diversas bandeiras nacionais foram carregadas pelo público, assim como quadros com a imagem de João Goulart. Simpatizantes deixaram homenagens ao lado da urna.

Fonte: G1