Com apenas água e mamão anoréxica chega a 27 kg e passar por tratamento

Com apenas água e mamão anoréxica chega a 27 kg e passar por tratamento

Com 27 kg, ela buscou ajuda de uma médica da família acabou sendo levada ao hospital da região para passar por tratamento.

À beira da morte, uma ex-gerente de restaurantes de Bauru, interior de São Paulo, luta para se recuperar de uma anorexia nervosa. Com 27 kg, ela buscou ajuda de uma médica da família acabou sendo levada ao hospital da região para passar por tratamento. Internada, ela recebe vitaminas e minerais por meio de sonda para aumentar seu peso. Este ainda é o primeiro passo de um longo tratamento para quem sofre deste transtorno alimentar.

De acordo com a mulher, que preferiu não se identificar, a vontade de perder peso e ser magra começou ainda adolescente. Segundo ela, os amigos tiveram sarro por ela ser um pouco mais ?gordinha?

? Me via gorda. Mas enfrentei a doença antes que fosse tarde.

Depois de anos, mesmo com os ossos aparentes, a jovem conta que não aceitava o corpo que tinha.

? Até chegar a não comer nada, comia bolacha de água e sal e leite para dormir. E vomitava. Depois, eu comia bem pouquinho.

A mãe da paulistana conta que teve que vir do Rio de Janeiro para cuidar da filha. Segundo ela, há anos a ex-gerente come muito pouco.

? Ela comia mamão e tomava água. Depois, nem água mais ela tomava nem água. Segundo ela, a filha preferia ficar em pé nos locais para não sentar e mostrar a barriga. ? Duro ver sua filha em cima de uma cama e não poder fazer nada.

Para o psiquiatra Fabrício Gimenes, pessoa que tem anorexia, na maior parte dos casos, não se conforma com a massa corpórea que ela possui.

? A busca dessa realização que faz a pessoa anule a vontade de comer.

Para a psiquiatra Vanessa Gimenez, o maior problema da doença é que ela envolve fatores psicológicos.

? Esse é o maior problema. A pessoa não acha que está doente, ela busca perfeição tão grande. Anorexia, muitas vezes, está associada à depressão, ansiedade, problemas familiares.

Hoje, nem as roupas infantis que ela usa tamanho 10 servem mais. Todas ficam largas em seu corpo. De acordo com a médica da família, a ex-gerente está com quadro grave de desnutrição.

A anorexia nervosa é uma doença que mata 40% dos pacientes e o tratamento pode levar anos.

Fonte: r7