Com aumento de circulação, ruas do Centro são fechadas

Superintendência Municipal de Transportes e Trânsito fechou ontem algumas ruas do centro à circulação de veículos

Com o aumento da circulação de veículos e pessoas nas ruas do Centro de Teresina, nesse período de final de ano, há a necessidade de reorganizar o trânsito na região, para garantir a circulação de quem for ao local durante estes dias. Pensando nisso, a Superintendência Municipal de Transportes e Trânsito (Strans) fechou desde ontem (26) as Ruas Álvaro Mendes e Simplício Mendes.

O mês de dezembro é o mais movimentado do comércio em Teresina e por causa disso as ruas ficam sempre cheias de pedestres e veículos, tornando-se praticamente intrafegáveis em alguns momentos do dia.

O fechamento das ruas faz parte das ações da Operação Natal Seguro que começou na última segunda-feira (25) e se estenderá até o mês de janeiro.

?Nós queremos garantir a segurança dos pedestres que vão fazer suas compras no centro da cidade, pois nessa época do ano o fluxo de veículos cresce muito naquela região. As ruas ficarão fechadas até continuar o fluxo maior de pessoas?, explicou o diretor de Operação e Fiscalização da Strans, Hudson Lima.

A orientação da Strans é que as pessoas optem por ir ao Centro de ônibus ou de táxi. Quem tiver carro, o ideal é que peça que alguém o deixe no Centro e volte para pegar. ?As pessoas precisam procurar outras alternativas.

Elas precisam evitar ir ao Centro de carro, porque não há estacionamentos suficientes para tantos carros. Se em dias normais já é complicado, agora então fica ainda pior?, pontuou.

Para orientar as pessoas e ajudar a organizar o trânsito na região, agentes da Strans ficarão nas proximidades das ruas fechadas. Para complementar a operação, o diretor informa que o reboque estará trabalhando no centro para inibir o desrespeito à sinalização e o estacionamento em locais proibidos.

?O reboque estará recolhendo todos os veículos que estejam estacionados em locais proibidos, por isso é importante que as pessoas evitem desrespeitar a sinalização?, finalizou.

Fonte: Pollyana Carvalho