Com câncer, cubano do Mais Médicos morre em hospital de Manaus após passar mal em avião

Com câncer, cubano do Mais Médicos morre em hospital de Manaus após passar mal em avião

O profissional viajava de São Paulo para Havana, em Cuba, quando passou mal dentro do avião.

O médico cubano Vladimir Soublett Hernandez, de 49 anos, que atuava no programa "Mais Médicos", no município de Ribeira, localizado a 354 quilômetros de São Paulo, morreu na manhã desta sexta-feira (28) em um hospital de Manaus, onde estava internado desde a manhã de quinta-feira (27). O profissional viajava de São Paulo para Havana, em Cuba, quando passou mal dentro do avião. Ele tratava um câncer no pâncreas, segundo o Ministério da Saúde. A assessoria da Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero), em Manaus, confirmou que uma aeronave da companhia Cubana de Aviación realizou um pouso técnico na capital às 6h55 da quinta (27), por conta do estado de saúde do médico.

Segundo a Infraero, um dos passageiros passou mal no avião, que fazia o trajeto São Paulo-Havana, e teve que ser atendido no Aeroporto Internacional Eduardo Gomes, localizado na Zona Oeste da capital amazonense. A empresa afirmou ainda que o passageiro foi encaminhado para o Hospital e Pronto-Socorro 28 de Agosto e a aeronave seguiu o trajeto até a capital cubana.

De acordo com a equipe de assistência social do Hospital 28 de Agosto, o médico chegou à unidade com mal estar e hipoglicêmia. Ele foi levado para a Unidade de Teperativa Intensiva (UTI), onde morreu nesta sexta.

O secretário de saúde de Ribeirax, Silvio Luis de Brito, disse ao G1 que o médico chegou ao município em dezembro de 2013. O profissional iniciou os trabalhos na Unidade Integrada de Saúde Ribeira, no dia 5 de janeiro.

"Ele era um bom médico e desempanhava a função normalmente. No fim de janeiro, ele se queixou de dores no estômago e chegou a pensar que era a comida da cidade. Ele então passou a preparar a própria refeição. Como o problema continuou, resolvemos fazer exames mais detalhados. Foi quando uma tomografia revelou que o mesmo tinha um tumor. Após uma semana, veio a confirmação de que era câncer", afirmou.

O médico foi transferido no dia 12 de fevereiro ao município de Pariquera-Açu, próximo a Ribeira, e depois, no dia 20, seguiu para a capital, onde ficou internado no Hospital Arnaldo de Carvalho Vieira - Insituto do Câncer. "Depois disso ele decidiu voltar para Cuba, pois queria ser tratado por lá. Infelizmente o Dr. Vladimir se sentiu mal na viagem e teve que parar em Manaus. Soubemos há pouco sobre a morte dele".

O secretário criticou a forma de como o médico foi deslocado ao município. "Nós achávamos que ele gozava de total saúde, não havia nenhum laudo apontando algum problema com ele. Acredito que pode haver melhor avaliação nesse sentido já que são profissionais que vêm de outro país", disse Silvio de Brito.

O Ministério da Saúde informou, por meio de nota, que o médico cubano recebeu a assistência devida e que foram realizados exames antes da vinda do profissional ao Brasil. "Os sintomas da doença começaram a se manifestar no final do mês de janeiro deste ano, quando o profissional apresentou dores abdominais e falta de apetite, e o diagnóstico de câncer no pâncreas ocorreu alguns dias depois. O agravamento do quadro de saúde do médico o levou ao óbito nesta madrugada, enquanto ele se deslocava de volta a Cuba. Desde o início da manifestação da doença, Vladimir Soublett Hernandez teve toda a assistência e cuidados médicos necessários e foi acompanhado pela Coordenação Estadual do Mais Médicos e pela Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS), que intermedeia o contrato dos profissionais cubanos. O médico passou por exames de rotina antes de vir ao Brasil para participar do Programa. Após a liberação dos documentos do profissional, será feita a repatriação do corpo conforme previsto no acordo com a OPAS, garantindo todos procedimentos necessários", cita trecho da nota.

Fonte: G1