Com férias esticadas, escolas de São Paulo dão aulas pela Internet

Em uma escola de Valinhos, a 85 km de São Paulo, a única movimentação é dos alunos do 3º ano do Ensino Médio

Como a volta às aulas foi adiada por causa da nova gripe, muitas escolas decidiram usar a criatividade para garantir opções de ensino à distância. Entre os recursos utilizados, estão blogs, videoaulas e kit entregues nas casas dos alunos. As medidas são aprovadas principalmente pelos alunos que vão prestar vestibular no fim do ano.

Em uma escola de Valinhos, a 85 km de São Paulo, a única movimentação é dos alunos do 3º ano do Ensino Médio, que foram até o local receber o material para estudar nas férias forçadas. Eles podem acessar exercícios elaborados pelos professores em blogs na internet.

?Aquilo que era virtual e servia de complemento, a partir do adiamento das aulas tornou-se o principal?, explicou Ademir Moreli, diretor do colégio.

Em outra escola particular, em Campinas, a 93 km de São Paulo, professores e funcionários tiveram muito trabalho preparando os kits de emergência para o ensino à distância. As férias até o dia 17 serão ocupadas com tarefas e aulas em vídeo.

A desenvoltura em frente às câmeras é mais um requisito exigido agora aos professores. A produção das videoaulas é feita com temas específicos para cada turma, como se a escola estivesse em casa.

Os recursos são usados para manter os alunos em atividade, e podem servir no futuro para o calendário de reposição de aula. Durante as duas semanas em férias, os estudantes vão receber três kits com lição de casa. Os professores também poderão tirar dúvidas pelo telefone.

Os kits são entregues na casa dos alunos por um motoboy. Os alunos aprovam a ideia, pois se mantêm ocupados e evitam a reposição de aulas no fim do ano.

Alunos do ensino estadual também têm se mantido em atividade, mas por conta própria. Alguns alunos fazem atividades diárias para não perder o ritmo e manter as notas altas na volta às aulas.

Fonte: g1, www.g1.com.br