Período quente aumenta risco de afogamento em rio

Período quente aumenta risco de afogamento em rio

Muita gente aproveita o período mais quente para utilizar os rios para o lazer.

O registro de vítimas de afogamento às margens do rio Paranaíba não é mais novidade na capital. Todos os anos o ?Velho monge?, como conhecemos o Parnaíba, faz muitas vítimas e a chegada do período mais seco do ano deve aumentar, assim como nos anos anteriores, o número de afogamentos. Isso porque, com o fim das chuvas, muita gente aproveita o rio para o lazer.

De acordo com informações do Corpo de Bombeiros, o aumento no nível das águas não está associado ao número de afogamentos. ?Pelo contrário, quando o nível da água diminui, cresce o número de vítimas por afogamento?, esclareceu o coronel Drummond, do Comando Geral. ?Quando o nível da água está baixo, o rio vira uma atração para os banhistas, principalmente crianças. As coroas e as margens do rio começam a aparecer e se tornam locais de diversão atraindo muitas pessoas?, completou o coronel.

Prova disso é que a partir do mês de julho muitas ocorrências começam a aparecer. O coronel relata que no ano de 2011, 52 casos de afogamentos foram registrados em todo o Estado. Em 2012, foram, 13 ocorrências em todo o Piauí, sendo que 3 casos foram registrados em Teresina.

É importante esclarecer aos banhistas alguns cuidados, como evitar atravessar rios, nadar em lagoas ou açudes desconhecidos, além de sempre estar acompanhado de pessoas que sabem nadar. Outro alerta é para o consumo exagerado de bebidas alcoólicas, principal causa de afogamentos no Estado.

Fonte: Carolina Durães