Combate à Homofobia: Cinthia Lages é homenageada durante sessão na Alepi

Combate à Homofobia: Cinthia Lages é homenageada durante sessão na Alepi

Única jornalista homenageada, Cinthia Lages disse que dividiu a honraria com os colegas de imprensa.

A Assembléia legislativa do Piauí realizou,esta manhã, sessão especial para marcar o dia mundiall de combate à Homofobia, transcorrido em 17 de maio. Na ocasião, foram homenageadas instituições e personalidades que se destacam na defesa dos direitos humanos e combate à homofobia, nos diversos segmentos sociais e atividades.

A jornalista Cinthia Lages, da TV Meio Norte e o Ministério Público Federal, representado pelo procurador dos Direitos dos Cidadãos, Leonardo Cavalcati receberam homenagem. O professor Doutor Francisco Junior, da Universidade Federal, a deputada Flora Izabel (PT), autora de leis que garantem direitos LGBTT também foram homenageados na sessão especial,proposta pelo deputado Fábio Novo(PT), Além de Marinalva Santana (Matizes), Safira Bengel e Katia Tapety, primeiro travesti a assumir um cargo de vice-prefeito ( em Colônia do Piauí).

O MPF foi homenageado em razão de propostas de ações inovadoras que garantiram direitos dos cidadãos LGBTT, como a ação que propõe o fim da proibição de doação de sangue a hommossexuais e o processo que garantiu aos casais homoafetivos a inclusão dos comanheiros ( a) na declaração de imposto de renda, que hoje já é um direito assegurado por determinação da receita Federal. A ação piauiense foi uma das primeiras do país. O procurador Leonardo Cavalcanti destacou que a atuação do MPF acontece no sentido de assegurar direitos constitucionais.

Única jornalista homenageada, Cinthia Lages disse que dividiu a honraria com os colegas de imprensa. "Todos são responsáveis por esse processo de construção de cidadania que vivencisamos no Piauí", afirma. "É importante destacar que, no meu caso, tal libersdade deve-se ao conceito de responsabilidade social e respeito à cidadania que existe na linha editorial do Sistema Meio Norte de Comunicação,onde trabalho".

O ato solene contou com a participação de vários militantes do movimento LGBT da capital e de municípios como Picos, Floriano e Colônia do Piauí.

Em sua fala, Jovanna Baby, Presidenta da Articulação Nacional de Travestis, cobrou políticas públicas para inclusão da população LGBT, repudiando a decisão do Governador Wilson Martins de extinguir a Coordenadoria de Direitos Humanos.

Já Marinalva Santana, do Grupo Matizes, destacou que a decisão da Presidenta Dilma, de suspender o Kit Anti-homofobia, contribui para o fortalecimento do discurso conservador, que condena os homossexuais. "Com sua decisão, a Presidenta descredenciou vários estudiosos da área de Educação, além de ter jogado na lata do lixo cerca de 1 milhão e trezentos mil reais que foram gastos com a confecção do Kit". A militante do Matizes ainda indagou: "quem vai ressarcir ao erário público esse dinheiro que foi gasto com um material que não será usado nas escolas? No nosso entendimento, deve ser a Presidenta Dilma", pontificou Marinalva.

O deputado Fábio Novo diz que a sessão foi importante para dar contibuidade ao debate já existente no país, em prol dos direitos dos cidadãos LGBTT. Ele anunciou que a Assembléia Legislativa reativou a Frente pela Cidadania, que conta com assinaturas de 12 dos 30 parlamentares.



Fonte: Portal Meio Norte, www.meionorte.com