Comer um ovo antes e um ovo depois da bebedeira ajuda a combater sintomas da ressaca

O ovo possui uma proteína capaz de auxiliar o organismo a reverter o processo de intoxicação, provocado pela ingestão de álcool.

Comer um ovo antes e um ovo depois da bebedeira pode ajudar a evitar e também combater os sintomas da ressaca. O ovo possui uma proteína capaz de auxiliar o organismo a reverter o processo de intoxicação, provocado pela ingestão de álcool.

A dica é da nutricionista Alline Cristina Schuncke, da Vitallin Alimentos. Segundo ela, comer um ovo frito antes de consumir bebidas alcoólicas ajuda a preparar o organismo para receber a substância. "Essa não é a forma mais saudável de consumir o ovo porque é mais gordurosa", admite. Mas tem o efeito desejado. "Ingerir gordura antes de beber ajuda a diminuir os sintomas da ressaca, pois a gordura demora a ser digerida no organismo e, consequentemente, vai fazer com que a absorção do álcool também seja mais lenta", explica.

No dia seguinte, quando o corpo apresenta os sintomas da ressaca --dor de cabeça, náuseas, desidratação--, a dica é comer o ovo cozido. "A digestão fica prejudicada, então é essencial evitar alimentos gordurosos", diz Alline. Famosos como a chef de cozinha e apresentadora britânica, Nigella Lawson, já adotaram a ingestão do ovo para combater o mal-estar causado pelo consumo de álcool. É que o ovo possui um aminoácido chamado cisteína, essencial na produção da glutationa, molécula importante no processo de desintoxicação do fígado. Segundo a nutricionista da Beneficência Portuguesa de São Paulo, Mirian Martinez, quando ingerimos álcool, componentes tóxicos se formam no fígado.

"A primeira fase da metabolização do álcool produz uma substância chamada acetaldeído. É ela quem causa a dor de cabeça e as náuseas que sentimos após a bebedeira", diz. A nutricionista afirma que o corpo produz glutationa para quebrar o acetaldeído. "Mas, dependendo da quantidade de álcool ingerido, o organismo não dá conta.

O ovo ajudaria nessa produção", diz. Ela afirma ainda que há fundamento científico para essa propriedade do ovo, mas que não se tem notícia de testes e pesquisas relacionadas ao assunto. Os especialistas são unânimes ao afirmar que não se deve consumir o ovo cru. "O ovo cru não deve ser consumido em nenhuma situação, considerando a possibilidade de contaminação por Sallmonela. A bactéria destruída durante o aquecimento do alimento", afirma a nutricionista do Hospital e Maternidade São Cristóvão, Cintya Bassi. Além do ovo, há uma gama de alimentos capazes de auxiliar o organismo no processo de desintoxicação do fígado. "É importante consumir alimentos ricos em carboidrato para fornecer energia ao fígado, que precisa trabalhar mais para desintoxicar o organismo.

Além disso, é preciso evitar alimentos ricos em gordura, para não sobrecarregar o órgão. Os alimentos que ajudam a desintoxicar são as frutas, especialmente cítricas, vegetais como agrião e couve. Os peixes também auxiliam na eliminação de toxinas", aponta Cintya Bassi. Ela afirma, no entanto, que a principal recomendação para a "cura" da ressaca é a ingestão de água. "O álcool tem função diurética, estimulando a expulsão da água mesmo em condições onde há pouco líquido no organismo, provocando desidratação, responsável pelos piores sintomas da ressaca", explica.

Fonte: UOL