Comitê Estadual contra a homofobia e plano LGBT é lançado em Teresina

A luta contra a homofobia e pela garantia dos direitos da população LGBT ganhou reforço nessa quinta-feira. Foi lançado ontem o Plano Estadual LGBT

A luta contra a homofobia e pela garantia dos direitos da população LGBT ganhou reforço nessa quinta-feira. Foi lançado ontem o Plano Estadual LGBT e Comitê Estadual de Enfrentamento à Homofobia, em torno dos quais se unem poder público e a população LGBT. Para essa parcela da população, esse é um importante passo para muitas conquistas.

A coordenadora do Grupo de Transexuais de Teresina, Maria Laura dos Reis, destaca como um grande avanço essa parceria entre o movimento LGBT e o poder público. ?É muito difícil viver onde o machismo e o preconceito imperam e quanto mais tivermos mecanismos de defesa e enfrentamento a esse tipo de coisa melhor será para nós. O Plano Estadual LGBT e Comitê Estadual de Enfrentamento à Homofobia foram duas conquistas, sem dúvida?, disse.

Tanto o Plano como o Comitê são esperados há algum tempo por quem está envolvido nessa luta pelos direitos do público LGBT. Para dar cumprimento aos objetivos de ambos, estão juntos vários órgãos do Governo do Estado e ainda do movimento LGBT. Secretarias como de Saúde (Sesapi), Turismo (Setur) e Educação (Seduc), junto com a Fundação Cultural do Piauí (Fundac) estão juntas com os movimentos em favor dessa parcela da população. ?Cada uma das secretarias desenvolverá atividades específicas, mas de forma articulada?, explicou o coordenador do Centro de Referência Homossexual do Piauí,Vitor Kozlowski.

?Essas são mais duas políticas inclusivas dentro do Piauí e garantirá a efetividade das ações que serão implantadas dentro do Estado. O movimento LGBT do Piauí já é bastante organizado e o plano vem para implantar as políticas que já existem e criar novas que venham a somar?, completou a coordenadora de enfrentamento à homofobia da Diretoria de Direitos Humanos da Secretaria de Assistência Social e Cidadania, Joseane Borges.

A promotora da 49º Promotoria de Justiça de Teresina, Myriam Lago, explica que o Comitê será um canal de comunicação mais eficaz entre as entidades e vai garantir a defesa da população LGBT e enfrentamento à homofobia. Já o Plano será responsável por garantir os direitos de forma mais ampla. ?Antes as lutas aconteciam de forma desintegrada, agora será de forma mais organizada?, disse.

Fonte: Pollyana Carvalho