Candidata de concurso em GO diz que uma questão foi copiada da Wikipédia

Conteúdo equivocado, segundo ela, foi considerado certo no gabarito

O concurso da Companhia de Saneamento de Goiás (Saneago), paralisado pelo Tribunal de Contas do Estado (TCE) na quinta-feira (4), continua sendo alvo de críticas. Uma candidata aponta possíveis irregularidades na prova para os cargos de nível superior. Para a jornalista Laura de Paula Silva, parte do conteúdo foi copiada da Wikipédia, uma enciclopédia colaborativa da internet.

A suspeita surgiu quando a candidata conferiu a prova, aplicada no último domingo (30). Na questão de número 27, sobre história e geografia de Goiás, segundo ela, a resposta correta deveria ser a falsa, mas foi considerada verdadeira no gabarito.

O enunciado diz: "A colonização de Goiás deve-se também à migração de pecuaristas que partiram de São Paulo, no século XVI". Mas, de acordo com a história, nesse século os portugueses chegaram ao litoral do Brasil e ainda não havia pecuária. Intrigada, Laura fez buscas na internet e descobriu que a afirmativa do concurso da Saneago é idêntica à do site Wikipédia.

"É um site colaborativo, onde todo mundo pode editar as informações. Não é um site oficial que uma banca séria deveria usar. Não sei se ela usou exatamente esse site, mas uma informação que está lá", diz a candidata.

Texto igual ao do Wikipédia também é encontrado em outro trecho da mesma questão que diz: "A população indígena em Goiás ultrapassa 10 mil habitantes. 39.781 hectares perfazem a soma das quatro áreas indígenas atualmente existentes no estado."

Laura entrou com recurso no Instituto Brasileiro de Educação e Gestão (Ibeg). Mas na quinta-feira (4), o concurso foi paralisado pelo Tribunal de Contas do Estado.

Paralisação

O TCE é o órgão responsável pela fiscalização dos concursos públicos no estado, mas disse que não tinha sido comunicado sobre o processo seletivo. Segundo a conselheira substituta Heloísa Helena Godinho, a falta do aviso, obrigatório por lei, impede a fiscalização.

"A Saneago não enviou a documentação conforme a lei determina. Consideramos isso grave. Somado às irregularidades que se apresentaram já na primeira fase, decidimos pela suspensão imediata.

A Saneago já havia anulado a prova para os cargos de nível médio e a para a maioria dos candidatos de ensino fundamental. A empresa pública tomou a medida na última segunda-feira (1º), atendendo recomendação do Ministério Público de Goiás (MP-GO), por conta de problemas no cartão de respostas. Mas a prova de nível superior era considerada válida, até quinta.

Em nota, a Saneago diz que acata a decisão do Tribunal de Contas do Estado. No entanto, afirma que o edital do concurso e todas as publicações de retificações do certame estão no TCE desde o dia 13 de maio.

Quando à denúncia feita pela candidata, de questões copiadas de site não oficial, a reportagem procurou o Ibeg, responsável pela elaboração das provas, mas ninguém atendeu as ligações.

Fonte: G1