Candidato entra na Justiça alegando que cota para negro é inconstitucional

Desde março deste ano a prefeitura paulistana aprovou a legislação que estipula 20%, no mínimo, das vagas em concursos públicos.

Uma representação contra a implantação do sistema de cotas raciais em concursos do município de São Paulo foi arquivada pela Procuradoria-Geral de Justiça local. Desde março deste ano a prefeitura paulistana aprovou a legislação que estipula 20%, no mínimo, das vagas em concursos públicos.

Segundo o autor da ação, já existem cotas para negros e pardos nas universidades para acesso ao nível superior, sem falar que já existem cotas para deficientes nas seleções.

Porém, segundo a procuradoria, as ações afirmativas não podem se restringir ao benefício apenas de pessoas com deficiência, assim como a eliminação de desigualdade não será alcançada somente com o acesso à educação pública.

Fonte: CorreioWeb