Cespe/UnB vai ser organizadora de concurso com 566 vagas para PF

Quem tem nível médio também poderá entrar na disputa pela função de agente administrativo (534)

Por meio de extrato de dispensa de licitação, publicado no Diário Oficial da União desta segunda-feira (14/10), a Polícia Federal (PF) definiu o Centro de Seleção e de Promoção de Eventos da Universidade de Brasília (Cespe/UnB) como banca organizadora de seu novo concurso, com 566 vagas. As oportunidades são de cunho administrativo, nos postos de engenheiro (11), administrador (4), psicólogo (3), arquivista (2), assistente social (7), contador (5), todos de nível superior. A portaria foi publicada na página 124 da terceira seção.

Quem tem nível médio também poderá entrar na disputa pela função de agente administrativo (534). O concurso foi autorizado pelo Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão (MPOG) em maio deste ano e o edital deverá ser publicado até novembro.

Mais seleções

Estão em andamento três certames da Polícia Federal, com 600 vagas - 150 para o cargo de delegado, 100 para perito criminal e 350 para escrivão. No total, 166.052 pessoas se inscrevem para a primeira etapa da seleção (prova objetiva). A concorrência para perito foi de 35.800 pessoas (358 pessoas por vaga), 46.633 tentam o posto de delegado (310 por vaga) e 83.619 disputam o cargo escrivão (238 por vaga). O certame reserva cinco por cento das chances a pessoas com deficiência. A remuneração varia de R$ 7.514,33 a R$ 14.037,11 para uma jornada de 40 horas de trabalho por semana.

Para concorrer ao posto de delegado, o candidato deve possuir nível superior em direito. Para escrivão, é exigido diploma de graduação em qualquer curso reconhecido pelo Ministério da Educação (MEC). Já a função de perito demanda graduação nas áreas de ciências contábeis, ciências econômicas, engenharia elétrica, engenharia eletrônica, engenharia de telecomunicações, engenharia de redes de comunicação, ciências da computação, informática, análise de sistemas, engenharia da computação, engenharia agronômica, geologia, engenharia química, química industrial, química, engenharia civil e medicina, entre outros. Todos os candidatos precisam ter carteira de habilitação na categoria B.

A seleção é composta por exame de aptidão física e médico e avaliação psicológica. Aqueles que concorrem ao posto de delegado também passarão por prova oral e de títulos. Quem pleiteia a função de perito será avaliado pela experiência profissional. Escrivães terão prova prática de digitação. Aprovados em todas as etapas ainda serão submetidos ao curso de formação profissional, que será ministrado pela Academia Nacional de Polícia (ANP), em Brasília.

Fonte: Correio Web