Concurso da Anvisa tem provas violadas, afirmam os candidatos

Concurso da Anvisa tem provas violadas, afirmam os candidatos

Problema aconteceu em pelo menos dois locais onde ocorrem as provas

Candidatos que fariam o concurso da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), na manhã deste domingo (2), em Brasília, reclamaram de atraso na entrega dos cadernos com as questões e que receberam provas violadas.

De acordo com os participantes, os transtornos aconteceram em pelo menos dois locais onde as avaliações foram aplicadas na capital federal. Segundo eles, o problema aconteceu em apenas algumas salas. Na maior parte das unidades, a prova foi realizada normalmente.

As supostas falhas na aplicação das provas do concurso da Anvisa também foram registradas em outros estados brasileiros. Em Alagoas, dezenas de pessoas procuraram a Central de Polícia para prestar queixa, alegando que a folha de respostas do concurso foi entregue com erro. Na Bahia, candidatos pedem o cancelamento da prova devido ao vazamento de informações, já que uma prova do turno da tarde foi entregue a uma participante do período da manhã. Problemas também foram relatados por candidatos que prestariam o concurso no Rio de Janeiro.

A Anvisa informou, por meio de nota, que "avaliará a natureza das ocorrências e adotará todas as medidas para preservar a lisura do concurso e o direito de todos os participantes" (veja nota na íntegra abaixo).

A Cetro Concursos Públicos informou que não vai se pronunciar neste domingo porque as provas ainda estão sendo aplicadas. A empresa também informou que vai apurar os fatos a partir desta segunda-feira (3).

Supostas irregularidades em Brasília

Dezenas de candidatos chegaram a registrar a ocorrência na 1ª DP, na Asa Sul. A Polícia Civil afirmou que os candidatos se queixam de que houve uma série de irregularidades no concurso e que o caso será encaminhado para a Polícia Federal.

Segundo a estudante Tamires Moraes, na sala onde ela faria a prova o malote com os cadernos de questões chegou aberto. ?Só veio a prova, sem pacote. Na verdade, a prova veio violada, com mais de uma hora de atraso?, disse.

?Quando chegou a prova, chegou um monte de provas sem lacre, sem nada. Então, [as provas] não foram entregues, e ninguém sabia informar o que aconteceu?, prosseguiu a estudante, que não fez a prova, marcada para acontecer na Unip da Asa Sul. O mesmo problema aconteceu também na Unieuro da Asa Sul.

Segundo Tamires, apesar dos problemas, a maior parte dos candidatos estava fazendo a prova. ?Só no nosso bloco que aconteceu isso. Em vários blocos tem prova. No nosso corredor tinha gente fazendo prova. Em só duas salas, três salas, é que estava acontecendo isso.

O estudante Willian Moutinho Tavares também disse que houve demora na entrega da prova. ?A prova chegou com 40 minutos de atraso, chegou às 9h e pouco, e um cara não tinha recebido a prova ainda. É uma vergonha isso. Três meses, [a gente] sacrifica o fim de semana para estudar, gasta dinheiro com cursinho e acontece isso.?

O concurso da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) recebeu 125.585 inscrições para 314 vagas para os cargos de especialista em regulação e vigilância sanitária, analista administrativo, técnico em regulação e vigilância sanitária e técnico administrativo.

As provas objetivas e discursivas são aplicadas nas cidades de Aracaju, Belém, Belo Horizonte, Boa Vista, Brasília, Campo Grande, Cuiabá, Curitiba, Florianópolis, Fortaleza, Goiânia, João Pessoa, Macapá, Maceió, Manaus, Natal, Palmas, Porto Alegre, Porto Velho, Recife, Rio Branco, Rio de Janeiro, Salvador, São Luís, São Paulo, Teresina, Vitória.

O concurso oferece 157 vagas para especialista em regulação e vigilância sanitária, 29 vagas para analista administrativo, 100 vagas para técnico em regulação e vigilância sanitária e 28 vagas para técnico administrativo.

Os salários vão de R$ 4.760,18 a R$ 10.019,20. Todas as vagas são para Brasília.

Nota da Anvisa:

"Concurso público da Anvisa

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária, Anvisa, informa que está acompanhando a aplicação da prova do concurso público da agência, realizada nas 27 Unidades da Federação neste domingo (02/6/2013).

A elaboração e execução deste certame nacional está a cargo da empresa Cetro Concursos Públicos.

A Anvisa tomou conhecimento de problema ocorrido na cidade do Rio de Janeiro por mudança de local da aplicação da prova. Prevista para o Cefet da unidade Maracanã o local foi transferido para a Escola Vicente Januzzi, na Barra da Tijuca, em virtude do amistoso de futebol Brasil e Inglaterra neste domingo.

Os inscritos foram avisados por meio de mensagens enviadas para celular e por e-mail. A empresa Cetro também publicou a informação no Diário Oficial da União (DOU) do dia 29 de maio, quarta-feira.

A Anvisa também foi informada de eventos registrados na aplicação das provas no Distrito Federal e em Alagoas.

A contratação da empresa Cetro para a realização das provas ocorreu após consulta pública. Quatro empresas apresentaram propostas, mas com o valor da inscrição para o concurso superior a R$ 240,00. Apenas a Cetro ofereceu inscrição por R$ 70,00 e condições de realizar a prova no mesmo ano da publicação do edital. Além disto, a CETRO já havia realizado um concurso público nacional para a Anvisa, em 2010, para a contratação de técnico administrativo.

A Anvisa avaliará a natureza das ocorrências e adotará todas as medidas para preservar a lisura do concurso e o direito de todos os participantes."

Fonte: G1