Confira como manter foco nos concursos no período das Olimpíadas

É preciso saber aonde se quer chegar e não parar até atingir

Difícil falar de concurso público num momento em que praticamente todos os olhares e pensamentos estão voltados para a Olimpíada. Mas quem está nessa pra valer precisa manter o foco no objetivo de ser aprovado.

O primeiro desafio é exatamente este: conseguir cumprir as metas de estudo estabelecidas e não deixar as próximas semanas escoarem como se fossem um longo feriado. Porque não são.

Para não ficarmos totalmente de fora do clima olímpico, vamos lembrar as características importantes para os atletas, e não será difícil observar que e os requisitos necessários para a vitória no esporte também levam ao sucesso em outras áreas da vida, em especial aqueles projetos de longo prazo.

Objetivo
Definir o alvo com clareza permite que todos os esforços sejam utilizados da forma correta. Ao contrário, se você troca de objetivo a todo momento, suas ações ficam confusas e sem direção. 

O atleta escolhe a modalidade de esporte que deseja. O candidato a concurso deve escolher uma área e nela investir os seus estudos.

Planejamento   
Se decidirmos virar atletas, será necessário organizar a vida para que esse projeto tenha espaço e tempo. Além disso, vamos precisar de orientação, equipamento, definir o horário e a forma dos treinos.

Claro que todos conhecemos histórias de atletas que treinaram sem recursos, superando desafios, e ainda assim foram bem sucedidos. São histórias que emocionam e inspiram. Além do mais, mostram que é possível, mesmo quando tudo parece indicar o oposto.

A preparação para concursos públicos é similar: será preciso definir o método de apoio (cursos, material) e os horários de estudo. Mesmo quem não tem boas condições financeiras pode conquistar a aprovação, desde que use alguma criatividade e um bocado de garra. A internet, por exemplo, fornece muitas orientações de qualidade gratuitamente.

Profissionalismo X amadorismo
Tem gente que não gosta muito da expressão “concurseiro”, porque dá a impressão de que a pessoa fez disso uma profissão. E essa é a verdade, mas não no sentido de que se tornou o objetivo em si. O concurseiro é a evolução do candidato, é alguém que está absolutamente empenhado na sua aprovação e age com total comprometimento em relação a isso. É o atleta de alto rendimento, o que se prepara para chegar a uma competição olímpica.

O inverso disso é a pessoa que se inscreve em diversos concursos, mas não estuda como se a sua vida dependesse disso. Podemos compará-la ao atleta de fim de semana, aquele que pratica o esporte pelo prazer e sem outro objetivo a ser alcançado.

Continuidade
É preciso saber aonde se quer chegar e não parar até atingir a faixa de chegada, independentemente das dificuldades - financeiras, emocionais ou até físicas - que se coloquem no caminho.

Pode haver situações em que parece impossível seguir. Mas é necessário encontrar a saída para dar o passo seguinte, e o outro, e mais um. É nesse ponto que se diferenciam os que vencem daqueles que ficam pelo caminho.

Sacrifícios
Qual atleta não precisou abrir mão de muitas coisas em favor do esporte escolhido? Dizer não muitas vezes à convivência com pessoas queridas, cumprir horários rígidos de sono, ter alimentação regrada? Toda a vida é norteada pela dedicação ao esporte e à melhora do desempenho.

Essa é também a realidade dos concurseiros – são alguns anos em que quase todas as decisões são pautadas pelo projeto de se tornar servidor público.

Talento x treinamento
No esporte, de modo geral, a pessoa inicia uma modalidade quando percebe que tem habilidade natural para aquilo.

Curiosamente, não são poucos os casos de “promessas não cumpridas”, jovens que pareciam extremamente talentosos, mas que depois não frutificaram como esperado, por diversos motivos.

O oposto também acontece: pessoas que não demonstraram habilidade inicial fora do comum, mas que treinaram tanto, que se dedicaram com tanto afinco, que atingiram um patamar de excelência naquilo que escolheram.

Nos concursos públicos, acontece a mesma coisa. Não importa tanto a facilidade natural para aprender ou o fato de ter boa base de conhecimento na escola. A maior parte das matérias será nova – disciplinas nunca vistas ou apresentadas agora com abordagem diferente - e a vantagem ficará com quem tiver maior determinação para estudar incansavelmente, até superar as dúvidas e sedimentar os conteúdos.

Com todos esses paralelos, fica aqui o alerta: nos próximos dias, você pode assistir aos jogos, torcer e se emocionar. Mas, quando as Olimpíadas acabarem, a sua vida estará do mesmo jeito. Que tal lembrar agora qual é o seu projeto e se dedicar a ele com determinação olímpica para transformar a sua vida?

Fonte: Com informações do G1