Constitucional e administrativo vão pesar nas provas da AGU e SEP/PR

A forma de cobrança dos conteúdos também terá alteração, pois o Idecan normalmente não demanda interpretação.

A Advocacia-Geral da União (AGU) escolheu banca diferente para organizar o certame deste ano. Com a Secretaria de Portos da Presidência da República (SEP/PR), a entidade abriu concurso público para vagas nos níveis médio, técnico e superior. Nos últimos anos, as provas foram aplicadas pelo Centro de Seleção e de Promoção de Eventos da Universidade de Brasília (Cespe/UnB), mas, para este ano, a banca escolhida foi o Instituto de Desenvolvimento Educacional, Cultural e Assistencial Nacional (Idecan).

Com a mudança, os candidatos responderão a questões de múltipla escolha, em vez das de certo ou errado elaboradas pelo Cespe. A forma de cobrança dos conteúdos também terá alteração, pois o Idecan normalmente não demanda interpretação. Nos itens de direito, por exemplo, o assunto costuma ser retirado integralmente da lei.

As 100 vagas oferecidas são para Brasília, 60 delas na AGU ? nas áreas de analista de sistemas, analista técnico administrativo, bibliotecário, técnico em comunicação social e técnico em contabilidade ? e o restante para a SEP/PR ? os cargos contemplados foram: administrador, analista técnico administrativo, contador, economista, agente administrativo e técnico em contabilidade.

A prova objetiva contará com 50 questões de língua portuguesa, de raciocínio lógico, de noções de informática e conhecimento gerais, além de 30 questões de conhecimentos específicos. Para o cargo de analista de sistemas, também haverá questões de língua inglesa. Nos itens de conhecimento específico, ética e conduta pública e legislações específicas da AGU e SEP/PR são assuntos comuns para todos os cargos.

Interpretação

A administradora Fabiana Tejelly, 32 anos, vai prestar concurso para analista técnico administrativo da AGU e agente administrativo da SEP/PR. A candidata estuda de três a seis horas diárias e costuma fazer concursos na área de formação dela. Para Fabiana, o maior obstáculo é a interpretação dos conceitos administrativos. ?Questões na minha área são muito subjetivas. É diferente, por exemplo, de provas de direito, em que as questões são de acordo com a lei. A área de administração demanda uma interpretação maior?, afirma.

De acordo com a professora de língua portuguesa da rede de ensino LFG Luciane Sartori, o candidato deve observar com atenção os assuntos que constam no edital e resolver provas anteriores da banca. ?Em provas de português, a dificuldade maior não é assimilar o conteúdo, mas entender como a língua funciona e como cada banca cobra as matérias. Então, pegar provas anteriores é essencial para se adaptar à linguagem da prova?, explica. Como um dos assuntos cobrados será o conhecimento de correspondência oficial de acordo com o Manual de redação da presidência da República, a professora recomenda o estudo por meio de cursos ou materiais explicativos. ?Os candidatos costumam compreender melhor o conteúdo do manual por meio de materiais que o resumam e o esclareçam.?

Sobre direito constitucional, o professor Luciano Dutra, autor do livro Direito constitucional essencial para concursos (Elsevier; 352 páginas; R$ 69,90), recomenda o estudo minucioso da Constituição, especialmente os títulos I, II e III. ?As questões do Idecan costumam seguir a letra fria da Constituição. Os artigos 5º ao 17º, do título II, costumam cair. Para alguns cargos da AGU, também é cobrado o capítulo 4, do título IV. Nesse caso, o candidato deve focar, principalmente, no artigo 131, que se refere à instituição?, comenta.

O professor de direito processual civil e de direito administrativo do curso preparatório Estúdio Aulas Alexssander Augusto afirma que as questões do Idecan são parecidas com as de outras bancas, como a Fundação Carlos Chagas (FCC). ?Nessas duas bancas, as questões de direito processual civil são retiradas exatamente como está na lei. Não há uma problematização das leis, portanto, é melhor ler a íntegra desses textos do que análises da doutrina ou da jurisprudência.?

O que diz o edital

Advocacia-Geral da União (AGU) e Secretaria de Portos da Presidência da República (SEP/PR)

Cargos:

AGU: níveis superior (áreas: analista de sistemas, analista técnico administrativo, bibliotecário e técnico em comunicação social) e médio (área: técnico em contabilidade)

SEP/PR: níveis superior (áreas: administrador, analista técnico administrativo, contador e economista) e médio (áreas: agente administrativo e técnico em contabilidade)

Vagas: 100

Remuneração: de R$ 2.818,02 a R$ 5.334,90

Inscrições: até 18 de maio

Taxa: R$ 60 e R$ 45

Provas: 8 de junho

Edital: www.idecan.org.br

Fonte: CorreioWeb