Erro faz organizadora anular parte das provas do concurso do Senado

Uma nova prova para os candidatos a esses cargos foi marcada para o próximo dia 29 de abril

A Fundação Getúlio Vargas, organizadora do concurso do Senado, decidiu anular as provas da tarde deste domingo (11) para os cargos de analista legislativo nas áreas de informática legislativa-análise de sistemas e saúde e assistência social-enfermagem.

Uma nova prova para os candidatos a esses cargos foi marcada para o próximo dia 29 de abril. Segundo o edital do concurso, há oito vagas para os cargos de analista legislativo na área de informática e análise de sistemas e seis para o cargo de analista legislativo em saúde e assistência social-enfermagem. No total, o concurso do Senado oferece 246 vagas.

As provas para os demais cargos do concurso do Senado, realizadas neste domingo, pela manhã e à tarde, continuam válidas, segundo a assessoria da fundação. No total, 157.939 candidatos se inscreveram no concurso do Senado, dos quais 63.194 para as diferentes funções do cargo de analista legislativo.

O motivo da anulação foram "inconsistências técnicas (insuficiência de cadernos de provas em algumas salas)", segundo nota divulgada pela FGV. Veja abaixo a íntegra da nota.

"COMUNICADO

Em 11/3/2012

A Fundação Getulio Vargas - FGV informa que foram detectadas inconsistências técnicas (insuficiência de cadernos de provas em algumas salas) verificadas no início da aplicação de provas do concurso público do Senado Federal (Edital 02/2011), apenas para os dois cargos do período vespertino, a saber:

- Analista Legislativo - Informática Legislativa - Análise de Sistemas;

- Analista Legislativo ? Saúde e Assistência Social ? Enfermagem.

Em função disso, a FGV e a Comissão do Concurso decidiram pela anulação das provas apenas para estes cargos em todos os locais de aplicação. As provas para estes cargos serão reaplicadas no dia 29 de abril de 2012, conforme comunicação que será enviada individualmente aos candidatos inscritos, via Correios.

Fundação Getulio Vargas ? FGV"

Fonte: G1