Especialista comenta edital e dá dicas de estudo para o novo concurso da Petrobras; salário chega a R$ 6.217,19

Especialista comenta edital e dá dicas de estudo para o novo concurso da Petrobras; salário chega a R$ 6.217,19

O candidato terá de ser bom em tudo: não basta ser especialista só na sua área.

Aqueles que esperavam um fim de ano tranquilo, sem grandes acontecimentos no que diz respeito a concursos públicos, foram surpreendidos pela publicação do edital da Petrobras no último dia 17. A empresa vai preencher 838 vagas, sendo 220 para cargos de nível superior e 618 para nível médio. A remuneração mínima inicial varia de R$ 1.801,37 a R$ 6.217,19. Segundo especialistas, pelas exigências de pontuação para esta prova, o candidato terá de ser bom em tudo: não basta ser especialista só na sua área.

A professora Mônica Roberta Silva, coordenadora do Projeto Reta de Chegada - que desenvolve aulas especiais e baterias de exercícios para os principais concursos públicos do país - lembra que este edital caracteriza-se pela diversidade de cargos e pelas mudanças na pontuação das provas. Para nível superior, há oportunidades para administrador, auditor, engenheiros, profissionais de comunicação, geofísico, entre outros. Os cargos de nível médio/técnico são, entre outros, inspetor de segurança interna, técnico ambiental, técnico de administração e controle, técnico de comercialização e logística, técnico de contabilidade, técnico de enfermagem do trabalho e técnico de exploração de petróleo.

Quanto à pontuação, para o nível técnico, serão 20 questões de conhecimentos básicos (dez de língua portuguesa e dez de matemática) e 40 questões de conhecimentos específicos, divididas em três blocos: o primeiro com 20, o segundo com dez e o terceiro com mais dez questões.

Para o nível superior, a situação não é muito diferente: serão 20 questões de conhecimentos básicos (dez de língua portuguesa e dez de língua inglesa) e 50 questões de conhecimentos específicos, também divididas em três blocos (20 questões no bloco 1, 15 questões no bloco 2 e 15 no bloco 3).

Mônica explica que o candidato terá que ter um mínimo 50% de acertos no exame de conhecimentos básicos, não podendo zerar em nenhuma disciplina, e de 60% de acertos na prova de conhecimentos específicos. Ela lembra que cada questão vale um ponto, o que, em teoria, deixaria todos em pé de igualdade.

- Contudo, é uma prova de equilíbrio. O candidato tem que ser bom em tudo, tem que ser um generalista-especialista. Aqueles que apenas estudam as disciplinas específicas ou os que são experts só nos conhecimentos gerais vão ficar em desvantagem contra aquele candidato que se aprofundou em tudo. O candidato precisa estudar todas as disciplinas de forma igual.

A professora ressalta que o tempo é curto para o candidato se preparar para as provas. Da publicação do edital até a prova são 72 dias corridos, já que os exames estão previstos para o dia 27 de fevereiro. Assim, sugere ela, é preciso estudar, no mínimo, 17 horas por semana, distribuídas em duas horas por dia, de segunda a sexta, e o restante no final de semana.

Como a bibliografia é vasta, com vários autores indicados para cada tema, o que tem dado um bom resultado no curto prazo, segundo Mônica, é estudar por meio de exercícios e resolver provas anteriores, o que permite que o candidato veja como a banca costuma formular as questões, buscando a teoria como suporte. Os candidatos podem, inclusive, acessar gratuitamente, o site do Projeto Reta de Chegada , onde está disponível uma bateria de exercícios, resumos e vídeos com dicas de estudo para a prova da Petrobras. Também é possível acessar provas de concursos anteriores no site da Fundação Cesgranrio .

As inscrições para o concurso da Petrobras estarão abertas de 10 a 27 de janeiro e poderão ser feitas através do site da Fundação Cesgranrio . As vagas serão distribuídas por 19 estados, entre eles o Rio. As taxas de inscrição são de R$ 30 (nível médio) e R$ 45 (nível superior).

Fonte: O Globo, www.oglobo.com.br