Pelo segundo mês, IBGE divulga dados incompletos de desemprego no Brasil

Em junho, taxa teve o maior recuo no Recife, passando para 6,2%. Greve prejudicou divulgação de taxa de Porto Alegre e Salvador.

Pelo segundo mês seguido, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulga os dados sobre o desemprego no país de forma incompleta - consequência da greve de seus servidores, que já dura dois meses.

Estão disponibilizados apenas os dados completos das regiões metropolitanas de Recife, Belo Horizonte, Rio de Janeiro e São Paulo em junho. Ficaram de fora as regiões metropolitanas de Salvador e Porto Alegre.

"O atraso nas etapas de coleta, apuração, crítica, análise e avaliação da qualidade do dado coletado foi devido à paralisação dos servidores do IBGE, impossibilitando a divulgação completa na data prevista no calendário de divulgação. Posteriormente, em data ainda não definida, está prevista a divulgação dos dados completos do mês de junho incluindo as regiões metropolitanas de Salvador e Porto Alegre", justificou o IBGE, em nota.

A taxa de desemprego teve o maior recuo no Recife, passando de 7,2% em maio para 6,2% no mês seguinte. No Rio de Janeiro, o índice foi de 3,4% a 3,2%. Já em Belo Horizonte, o desemprego teve leve aumento, de 3,8% para 3,9%. Em São Paulo, a taxa foi mantida em 5,1%.

De acordo com o IBGE, o número de pessoas sem trabalho, mas que estão procurando emprego, ficou estável de maio para junho. No entanto, na comparação com o sexto mês do ano anterior, foi registrada queda de 24,3% em São Paulo e de 40,3% no Rio de Janeiro. O contingente de desocupados não aumentou nem caiu no Recife e em Belo Horizonte.

Também mostrou estabilidade o número de pessoas ocupadas com carteira assinada na comparação com maio e com junho do ano passado. Já os empregados sem carteira assinada não registrou variação de um mês para o outro. Porém, frente a junho de 2013, os dados mostram que São Paulo registrou queda de 17,7%. Nas outras regiões, houve estabilidade.

Fonte: G1 Globo