Instituto Federal do Piauí (IFPI) abre edital para 8.800 vagas em cursos técnicos

Instituto Federal do Piauí (IFPI) abre edital para 8.800 vagas em cursos técnicos

As oportunidades atendem aos 53 municípios polos da Rede E-tec

Estudantes de várias cidades do Piauí podem se inscrever no Exame Classificatório para cursos técnicos da modalidade educação a distância do Instituto Federal do Piauí (IFPI). O edital do Exame foi lançado ontem (15) e oferece 8.800 vagas, distribuídas nos 53 municípios polos da Rede E-tec.

De acordo com Márcio Aurélio, diretor de ensino a distância do Instituto, a seleção é destinada a candidatos que já concluíram a 3ª série do Ensino Médio. Segundo ele, as inscrições poderão ser feitas de 17 de julho a 1º de agosto, exclusivamente no site www.ifpi.edu.br.

?Do total de vagas, 50% serão reservadas à inclusão social por sistema de cotas para candidatos que tenham cursado todo o ensino fundamental ou médio em escolas públicas. Para ampliar o sistema de cotas, 5% das vagas vão para pessoas com deficiência?, explica.

No ato da inscrição, o candidato deverá, obrigatoriamente, optar por apenas um curso e um único polo. Os cursos são nas áreas de eventos, secretariado, meio ambiente, segurança do trabalho, informática para internet, logística, serviços públicos e administração.

?Com esses cursos será atingido um maior número de pessoas. A ideia do EAD é essa: incluir essas pessoas que, historicamente, precisam vir a Teresina para fazer um curso técnico?, acrescenta Márcio.

Ainda na inscrição, os candidatos deverão informar, obrigatoriamente, se desejam concorrer às vagas destinadas às ações afirmativas ou às vagas de ampla concorrência.

O candidato que optar por concorrer às vagas destinadas às ações afirmativas somente terá direito à vaga se atender as exigências do edital na data da matrícula.

A prova do Exame Classificatório EAD será aplicada no dia 18 de agosto, no horário de 8h às 12h. O teste constará de 60 questões objetivas, das disciplinas Língua Portuguesa e Matemática, de acordo com o conteúdo programático das disciplinas constantes no edital. O resultado final será divulgado até o dia 29 de agosto e as aulas devem ter início no dia 30 de setembro.

Número de estudantes especiais deve crescer

Tendo como foco principal a elaboração de um Programa de Acessibilidade e Educação Inclusiva, o Simpósio "Inclusão e Acessibilidade na Universidade Federal do Piauí (UFPI) pretende garantir o acesso de pessoas com necessidades educacionais específicas à vida acadêmica, eliminando barreiras sociais, comportamentais, pedagógicas, arquitetônicas, de comunicação e de informação.

Segundo o último levantamento feito, a Instituição tem 3 mil pessoas com necessidades especiais, e esse número deve crescer após a implementação do programa.

De acordo com a pró-reitora de Assuntos Estudantis e Comunitários (PRAEC), Cristiane Torres, a execução de um sistema de ensino inclusivo pressupõe a adoção de medidas de apoio relativas a todas as atividades acadêmicas e administrativas.

"Iniciamos uma discussão para destacar quais as demandas e necessidades das pessoas inseridas nesse grupo, para que possam ser traçadas as ações do programa", coloca Cristiane ao ressaltar que a realização deste projeto vai permitir a permanência do aluno, que terá suas dificuldades minimizadas.

"Além disso, vamos promover a motivação em outras pessoas. Elas se sentirão motivadas, ao virem o que podem receber caso escolham a UFPI para estudar", acrescenta.

Realizado ontem (15), no Auditório do Centro de Tecnologia, Campus Ministro Petrônio Portella, o evento veio fomentar a discussão sobre a política de educação inclusiva na Instituição. Representantes de todas as unidades acadêmicas da UFPI marcaram presença.

Segundo a vice-reitora, Prof.ª Dr.ª Nadir Nogueira, a universidade trabalha com a política de inclusão há uma década. "A UFPI trabalha diretamente com políticas de permanência do aluno na universidade, através de várias ações", coloca.

Uma dessas políticas é o "Atendimento a Necessidades Educacionais Específicas", que tem vistas à superação de dificuldades causadas por deficiência física, visual, auditiva, intelectual, transtornos globais do desenvolvimento, altas habilidades/superdotação.

Alunos que apresentem uma ou mais dificuldades como essas podem entrar em contato com a PRAEC e solicitar o auxílio de um colega de sala. Esse aluno escolhido recebe uma bolsa mensal para auxiliá-lo.

"Hoje, uns 10 alunos são contemplados com essa bolsa. Nós da PRAEC fazemos o acompanhamento do desempenho e percebemos a melhora no rendimento desses estudantes", finaliza a pró-reitora Cristiane Torres.

Censo deve ser respondido até o dia 31

Escolas das redes estadual, municipal e privada têm até o dia 31 de julho para enviarem os dados do Censo Escolar 2013. As informações podem ser entregues pela internet no endereço www.educacenso.mec.inep.gov.br.

O Censo é realizado anualmente pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), com a colaboração das secretarias estaduais e municipais de Educação e com a participação de todas as escolas públicas e privadas do país.

Os dados apresentados no Censo são utilizados pelo Ministério da Educação (MEC) e apartir deles é elaborado o diagnóstico da Educação Básica no país.

A Escola que não responder o Censo fica sem identidade, portanto, a Escola, seus funcionários, alunos e professores não existirão perante o Ministério da Educação (MEC).

Por isso, a Secretaria de Educação do Piauí (Seduc) ressalta a importância de que todos os gestores mobilizem suas escolas para o preenchimento dos dados.

Por meio de um trabalho de motivação para o envio das informações sobre o ensino nas escolas de sua rede, a Seduc vem realizando visitas a todas as unidades de ensino.

De acordo com Paulo Jales, gerente de estatística, uma equipe da secretaria tem visitado todas as escolas para incentivar os diretores na resolução das questões do Educacenso. Aproximadamente 770 escolas da rede estadual precisam enviar as informações.

"Nós temos percorrido por todo o Estado, indo a todas as escolas e destacando a importância da prestação de informações junto ao Censo Escolar. Temos um supervisor e um coordenador em cada gerência regional de Educação para auxiliar e esclarecer sobre quaisquer dúvidas", ressalta.

A escola que não enviar as informações dentro do prazo ficará inexistente perante o MEC e impossibilitada de dar continuidade aos programas do governo federal. Sem a prestação de contas em dia, a escola não receberá recursos para o desenvolvimento de atividades.

Os diretores devem responder questões relacionadas à matrícula, número de professores, estrutura das escolas e modalidades de ensino que ofertam. De acordo com o Censo Escolar 2012, no Piauí, 765 escolas da rede estadual de ensino foram recenseadas e 277.796 alunos tiveram as matriculadas confirmadas.

Fonte: Aline Damasceno