Jovens preferem rede social e site de emprego para achar vaga no mercado

Linkedin é citado por mais de 80% da faixa de 18 a 35 anos, diz pesquisa.

As redes sociais e sites de empregos são mais usados pelos jovens na busca de um emprego, enquantos os mais velhos preferem buscar consultorias de recrutamento e a sua própria rede de contatos, aponta pesquisa divulgada nesta segunda-feira (16) pelo PageGroup, holding de recrutamento.

De acordo com o estudo, profissionais de 18 a 35 anos apontam uma preferência maior pelas redes sociais (especialmente LinkedIn) e os sites de empregos.

Entre os profissionais de 18 a 25 anos, por exemplo, 80% aponta preferência pelos sites de emprego; percentual que sobre para 81% na faixa de 26 a 30 e para 85% na de 31 a 35 anos.

A rede social Linkedin também é bem procurada nessas faixas etárias, com parcelas de 53%, 87% e 83%, respectivamente.

Na faixa etária de mais de 45 anos, porém, os sites de empregos foram citados por 39% dos entrevistados, enquanto sites de consultorias de recrutamento, por 71%. Na faixa de 41 a 45 anos, as parcelas são de 59% para sites de emprego e 74% para sites de consultorias de recrutamento.

Contudo, nessas faixas o Linkedin também é bastante citado, com parcelas de 74% e 81%, respectivamente. As redes de contatos tem parcelas de 65% e 56%, respectivamente.

Homens X mulheres

A pesquisa destaca que os homens são mais ousados na busca por emprego do que as mulheres.

Com relação aos homens em geral, 31% afirmam já ter abordado um headhunter (caçador de talentos) em busca de uma oportunidade pelas redes sociais, mesmo sem conhecê-lo ou sem ter tido nenhum tipo de contato prévio com o mesmo.

Mas as mulheres não ficam atrás ? 29% afirmam ter abordado um headhunter quando procuravam por novas oportunidades. Além disso, os homens também utilizam mais a rede de contatos do que as mulheres, com participação de 56% e 51%, respectivamente.

Fonte: G1