Estudo lista cargos mais procurados na área de comunicação no Brasil;veja

Editor de livros foi o cargo mais procurado no primeiro trimestre

O aumento da disputa pela venda de livros e produtos de bens de consumo não-duráveis ditaram o ritmo das contratações no primeiro trimestre na área de comunicação. É o que mostra levantamento realizado pela Page Personnel, consultoria de recrutamento especializado, parte do PageGroup.

A consultoria identificou, a partir de sua base de dados, quais foram os profissionais mais procurados nos três primeiros meses do ano. Na lista figuram cargos ligados ao mercado editorial e de vendas ao varejo.

Confira abaixo as cinco profissões listadas e o perfil exigido pelas empresas na hora da contratação:

1) Editor de livros

Empresas estão apostando em profissionais mais qualificados para melhorar a edição de seus produtos. Têm procurado no mercado pessoas com boa qualificação cultural, formação de primeira linha e profissionais dinâmicos que consigam se adaptar rápido a mudanças de cenário. Muitos profissionais desse mercado atuam como freelancer e as grandes empresas estão com a demanda de ter este profissional totalmente dedicados a sua estrutura e demanda. Existe uma alta competitividade entre as editoras, pois elas disputam os livros entre os mesmo públicos.

Salário médio: R$ 5.000 (pleno)

Aumento da demanda por esse profissional: 30%

2) Analista de marketing para editoras

O mercado editorial aumentou a procura por profissionais capazes de melhorar a estratégia de divulgação de seus produtos. Procuram especialistas em campanhas de ponto de venda e que ajudem a sensibilizar o público-alvo na hora da compra. Outro ponto que as empresas buscam nestes profissionais é a capacidade de análise de mercado e concorrência para identificar a melhor estratégia de divulgação e posicionamento do produto. É fundamental que essas pessoas já tenham trabalhado com o consumidor final e, de preferência, em bens de consumo.

Salário médio: R$ 4.200 (pleno).

Aumento da demanda por esse profissional: 30%

3) Vendas off trade (bens de consumo)

A indústria de bens de consumo duráveis e não-duráveis estão buscando profissionais para aumentar as vendas dentro do varejo. Este profissional necessita ter experiência no varejo ou distribuidores, com boa capacidade de negociação, analítica e planejamento de vendas. É mandatório que seja uma pessoa comunicativa e de preferência com a experiência em atender o canal desejado pela empresa.

Salário médio: R$ 5.000 + comissão.

Aumento da demanda por esse profissional: 30%

4) Vendas on trade (bens de consumo)

As empresas produtoras de bebidas aumentaram as buscas por profissionais especializados em vender para restaurantes, bares e casas noturnas. Para essa função é necessário ter habilidade em negociação e relacionamento, planejamento de vendas, conhecimento em marketing e trade marketing para melhor posicionar os produtos nos clientes, além de uma boa carteira de clientes. Não basta para essa posição ser vendedor, as habilidades de relacionamento são fundamentais e dependendo do mercado, como uísque e vinhos, é necessário inclusive que o profissional tenha uma formação técnica paralela para saber fazer amortização da comida dos cardápios de restaurantes com a bebida e drinques que possam ser feitos com essas bebidas.

Salário médio: R$ 4.000 (pleno) + comissões

Aumento da demanda por esse profissional: 30%

5) Analista de reconhecimento

Empresas de venda porta-a-porta buscam cada vez mais melhorar a motivação de seus representantes. Para isso estão buscando profissionais especializados em campanhas de incentivo de vendas. Este perfil deve ter boa capacidade analítica, criatividade, noção de marketing, experiência com desenvolvimento de ações e mensuração de resultados. Criam campanhas sazonais fixas além de outras esporádicas para incentivar uma venda maior por parte da equipe de vendas. Eles vinculam premiações como viagens, objetos, produtos com descontos, podendo chegar a um automóvel, dependendo da venda anual do profissional.

Salário médio: R$ 6 mil

Aumento da demanda por esse profissional: 15%

Fonte: G1