Polícia Federal abre inscrições para 600 vagas de agente e escrivão

Cargos exigem nível superior em qualquer área

O Departamento de Polícia Federal abre nesta segunda-feira (3) as inscrições para dois concursos públicos, um para 400 vagas de escrivão e outro para 200 vagas de agente da polícia federal. Os cargos são de 40 horas semanais, com dedicação exclusiva. Os candidatos devem ter curso de nível superior em qualquer área e carteira de habilitação B. A remuneração inicial para os convocados é de R$ 7.514,33.

Tecnólogos que tenham curso reconhecido pelo MEC como de nível superior também podem se candidatar. As vagas são para a região da Amazônia Legal, nos estados do Amazonas, Acre, Amapá, Roraima, Rondônia, Maranhão, Pará, Mato Grosso e Tocantins, além de unidades de fronteira e no estado de Mato Grosso do Sul. As inscrições podem ser feitas pelas páginas eletrônicas www.cespe.unb.br/concursos/dpfescrivao2009 ou www.cespe.unb.br/concursos/dpfagente2009, entre as 10h do dia 3 e as 23h59 de 18 de agosto. A taxa é de R$ 110,00.

As seleções terão duas etapas. A primeira está dividida nas seguintes fases: prova objetiva, prova discursiva, avaliação psicológica, exame médico e de aptidão física. Para o cargo de escrivão, haverá também prova prática de digitação. A segunda etapa será o Curso de Formação, ministrado pela Academia Nacional de Polícia. A nota obtida no Curso de Formação Profissional contará para a escolha do local de atuação. As provas objetivas e discursivas para os dois cargos serão aplicadas em todas as capitais e no Distrito Federal e estão previstas para o dia 13 de setembro, no turno da tarde.

Portanto, os candidatos não poderão se inscrever para os dois cargos. Os locais e os horários de realização da prova objetiva e da prova discursiva serão publicados no Diário Oficial da União e divulgados nos sites do concurso, na data provável de 2 de setembro. O resultado final na prova objetiva e o resultado provisório na prova discursiva serão divulgados na data provável de 29 de setembro.

Remoção

Os aprovados no concurso escolhem os locais de trabalho de acordo com a ordem de classificação no curso de formação. O período mínimo que o funcionário deve ficar no local escolhido para trabalhar é de três anos. Mas todos os anos são oferecidos os chamados concursos internos de remoção. São levados em conta o tempo de casa e o local de lotação – localidades mais distantes e com menor infra-estrutura dão mais pontos aos funcionários. Quem entra na PF pode também tentar trocar de local de trabalho com o colega que esteja no mesmo cargo.

Fonte: g1, www.g1.com.br