Saiba como manter a saúde em dia para ir bem em um concurso

Saiba como manter a saúde em dia para ir bem em um concurso

Lia Salgado fala como os candidatos podem encarar a maratona de estudo

Lia ressalta que o concurso é parecido com uma maratona, já que os dois requerem equilíbro e resistência, não têm resultado imediato e exigem esforço continuado. "É possível fazer uma analogia entre a preparação de um atleta e de um candidato", diz.

"A saúde é essencial. Candidato doente não estuda e não faz prova. Mas, é curioso como o que é necessário para se ter boa saúde interfere diretamente na qualidade do estudo e do aprendizado, e é isso o que vamos comentar."

Sono

"É claro que é importante dormir um número suficiente de horas. Apesar de que o candidato a concurso público dorme muito menos do que gostaria", diz Lia. Ela ressalta que quem dorme pouco fica com sono na hora de estudar e ainda fica disperso.

"Se dormir menos do que 6 horas, o cérebro não tem tempo de gravar o que foi estudado durante o dia. É como se você estudasse o dia inteiro e jogasse esse esforço na lata do lixo", completa.

Alimentação

A especialista ressalta que os candidatos devem ter uma Ferrari e colocar para dentro uma quantidade enorme de informações, que devem ser guardadas para serem utilizadas na hora da prova.

"Se você só comer bobagem o cérebro não tem condições de fazer o trabalho necessário." Com diversas opções, Lia reitera que é possível fazer uma escolha melhor, já que comer apenas "porcarias" não vão ajudar.

Para os candidatos que têm algum tipo de problema com alimentação, a especialista sugere a procura por orientação médica. Ela ainda lembra que o ômega 3 é importante para o cérebro e pode ser encontrado no salmão, atum, sardinha, azeite, entre outros. "É um recurso que vai ajudar na hora do estudo", completa.

Água

"É importante consumir dois litros de água por dia, pois isso melhora a atividade cerebral e facilita o trânsito das informações pelos neurônios", diz Lia.

Para quem gosta de cerveja, a especialista lembra que o efeito é o inverso, já que o álcool desidrata os neurônios.

Atividade física

"Será que o estresse é sempre ruim? Na verdade, ele é uma resposta do nosso cérebro a uma situação de perigo", completa a especialista.

É um comando para uma resposta física e compromete a atividade intelectual do cérebro, que é péssimo para o candidato que precisa estudar. "Isso é a causa do famoso "branco" na hora da prova."

Segundo Lia, os candidatos estão sempre preocupados, com pouco tempo e pensando na quantidade de matérias que precisa estudar e isso que é o ruim, o estresse prolongado.

Para resolver essa situação, a especialista indica a atividade física. "Se você fizer uma caminhada três vezes por semana, você consegue baixar os níveis de estresse, que são hormônios que o corpo joga no organismo, e de quebra ainda produz serotonina e endorfina que são os chamados hormônios do bem-estar, então você elimina sua sensação de medo e angústia e passa a ter sensação de coragem e confiança, que é muito mais produtiva para a sua preparação", diz.

Além disso, ela lembra que os dois hormônios são neurotransmissores e ainda vão ajudar no funcionamento do cérebro.

Lazer

A especialista ressalta que não dá para estudar de segunda a segunda. "Mesmo o pior patrão do mundo dá um dia de folga, então você como seu próprio patrão, deve separar um dia na semana para se divertir. Isso faz parte do seu planejamento para ser aprovado."

A folga é o momento que o candidato vai conseguir recarregar suas baterias e relaxar para começar a semana com plenas condições de retomar o estudo. "Senão o projeto fica insuportável e você termina desistindo porque não deu aquela pausa para se recuperar", reitera.

Equilíbrio emocional

?Isso é uma coisa que temos que encontrar dentro da gente. Tem muito a ver com a postura que a gente assume diante da vida?, lembra Lia.

A especialista afirma que os candidatos devem acordar para estudar com a sensação de que está lutando para mudar de vida e não com a sensação de que está perdendo o sol que está na rua ou passando frio fora do edredom.

"Isso faz toda a diferença, não só para o seu projeto, mas também para o rendimento do seu estudo. Se você senta para estudar sofrendo, isso não vai funcionar, mas se você tem confiança e garra de que esse é o caminho que você escolheu para transformar sua vida, com certeza esse estudo vai ser produtivo", completa.

Fonte: G1