Saiba como se preparar quando edital do concurso já foi publicado;veja dicas

Candidato deve escolher uma área para aumentar chances de aprovação

Nos primeiros três meses deste ano já tivemos concurso para Banco do Brasil, Caixa Econômica, Polícia Federal e Ministério da Fazenda, com prova em 27 de abril, somente para citar alguns dos concursos de nível médio. Além disso, as notícias sobre o concurso dos Correios estão esquentando.

No mesmo período, ainda foram publicados os editais de concurso da Receita Federal, Prefeitura de São Paulo (ambos da área fiscal) e Petrobras. Na semana passada, foram autorizadas 600 vagas para agente da Polícia Federal, cujo edital deve ser publicado em até seis meses, ou seja até setembro deste ano.

Com tantos e tão bons concursos saindo, é muito importante o candidato saber o que fazer a cada novo edital publicado, para não ficar tentando agarrar todas as oportunidades e, no fim das contas, deixá-las todas escaparem.

Manter o foco

A primeira pergunta a ser feita é: esse edital é da minha área de interesse? Eu já estava estudando essas matérias?

Por melhor que sejam as oportunidades, se você vai sair do zero, estará no fim de uma fila e as chances são pequenas em relação aos que já vinham se preparando. E corre o risco de daqui a pouco sair um edital da sua área, e você estar fora da sua fila, envolvido em uma tarefa com pequena probabilidade de sucesso.

Mas, se o concurso for da área para a qual você já estava se preparando, a segunda pergunta é: já vi boa parte do conteúdo? Caso contrário, vamos cair na situação acima. Claro que é possível dar uma arrancada entre o edital e a prova, e isso pode ser útil para alavancar o estudo. Desde que, caso não seja aprovado, o candidato siga estudando para estar em melhores condições na próxima oportunidade.

De toda forma, é importante observar, com isenção, se não seria mais produtivo deixar o edital passar para se preparar com qualidade para o seguinte. De modo geral, o candidato fica ansioso e quer participar de qualquer jeito, contando um pouco com a sorte. É uma decisão pessoal.

Todo o tempo do mundo

Se preparação para concurso é uma maratona, o período entre o edital e a prova é corrida de velocidade. É um prazo relativamente curto ? não passa de dois meses ? e todas as forças devem ser concentradas para aumentar as chances de aprovação.

Assim, é o momento de adiar tudo o que não estiver relacionado ao estudo (exceto o que realmente for importante ou urgente), delegar tarefas e, se o candidato estiver trabalhando e for possível, tirar férias para aumentar o número de horas de estudo.

Mesmo nesse período o equilíbrio é importante para que o candidato não fique exausto e perda qualidade no estudo.

Reprogramar

A publicação do edital muda completamente a dinâmica de estudo. Antes do edital, o candidato estuda todas as disciplinas, aprofundando aos poucos e lapidando o conhecimento com calma. Edital publicado significa que nem sempre haverá tempo para o candidato ficar pronto, por isso é preciso ter uma boa estratégia para saber o que e como estudar até o dia da prova.

A primeira providência é examinar atentamente o edital para saber se há matérias ou tópicos novos e que nunca foram estudados. Atenção, porque muitas vezes os assuntos de uma disciplina ficam sob o título de outra (por exemplo, matemática financeira no tópico de matemática) e em alguns casos o nome da disciplina é mantido, mas o conteúdo cobrado sofre muitas alterações.

Por outro lado, assuntos que estavam na programação de estudo podem ter sido excluídos do novo edital e deve ser abandonados pelo candidato.

Depois disso, é preciso contar o número de dias e semanas até a prova e fazer uma nova distribuição de tempo pelas disciplinas. Matérias que já foram bem estudadas devem ser apenas revisadas pelo material previamente elaborado. Disciplinas específicas ou surpresas do edital ? tópicos ou matérias inteiras que tenham sido incluídas ? têm prioridade de tempo, porque são novidade para o candidato. O mesmo acontece com matérias em que o candidato ainda tenha muita dificuldade.

Outros fatores que interferem no tempo a ser dedicado a cada disciplina até a data da prova são: o número de pontos que ela representará na prova, se virá isolada ou agrupada com outras e a pontuação mínima exigida para que o candidato não seja eliminado.

Provas anteriores da banca

Mesmo que não dê tempo para estudar tudo, é essencial que o candidato resolva provas de concursos anteriores da banca organizadora do concurso. Isso dá uma referência de como o conteúdo é cobrado, do tipo de questões que a instituição costuma fazer e dos assuntos mais frequentes.

Com essas informações, o candidato pode trabalhar as arestas e ficar mais seguro no dia da prova, o que é uma vantagem relevante.

Requisitos e local das vagas

Nunca é demais lembrar que o edital deve ser lido integralmente, para que o candidato conheça exatamente as regras do seu concurso e não tenha surpresas depois.

Nesse sentido, são informações básicas para que o candidato decida se deseja e pode participar daquele concurso: o número e o local das vagas (ou se não há vagas imediatas e o concurso é para cadastro de reserva), os requisitos necessários para o cargo, a remuneração oferecida e as atribuições que terá, caso seja aprovado.

Retorno à maratona

Caso o resultado da prova não seja favorável, o candidato deve voltar aos estudos - em ritmo de maratona outra vez - para melhorar a preparação e estar pronto para um novo edital.

Mesmo que tenha sido aprovado, pode ser interessante seguir estudando para manter a excelência e ser aprovado em novas oportunidades. Isso porque o prazo de validade dos concursos pode ser longo (dois anos, podendo ser prorrogado por mais dois) e cabe à administração decidir quando convocar o candidato. Assim, quanto mais aprovações, maiores são as chances de se tornar logo um servidor público.

Fonte: G1