Secretaria de Saúde/DF nomeia mais de 80 aprovados de 2011

Secretaria de Saúde/DF nomeia mais de 80 aprovados de 2011

Fundação Universa foi a banca escolhida para elaborar as provas e organizar o processo seletivo.

A Secretaria de Saúde do Distrito Federal (SES/DF) publicou, nesta quinta-feira (19/9), no Diário Oficial local (página 64), a nomeação de 89 aprovados para o cargo de técnico em saúde (higiene dental), do concurso público aberto em maio de 2011. O certame, que teve resultado homologado em setembro do mesmo ano, ofertou 422 oportunidades e cadastro reserva para cargos de níveis médio e superior.

A Fundação Universa foi a banca escolhida para elaborar as provas e organizar o processo seletivo. As remunerações iniciais variam de R$ 1.685,30 a R$ 2.640,36, mas de acordo com a Gerência de Seleções da SES/DF, o servidor, quando possível, poderá dobrar o número de horas trabalhadas e consequentemente duplicar o próprio salário. Veja o edital de abertura.

Cargos de nível médio

A seleção ofereceu oportunidades nas funções de motorista (100), técnico em radiologia (90) e técnico em saúde bucal (80). Os candidatos a estes postos devem ter certificado de conclusão de nível médio de escolaridade e curso técnico na área que deseja atuar. Os candidatos a motorista devem apresentar a carteira na categoria D.

Cargos de nível superior

Foram abertas vagas nos cargos de assistente social (50), farmacêutico (50), nutricionista (50), fonoaudiólogo (1) e terapeuta ocupacional (1).

Polêmica

No começo deste mês, a Promotoria de Justiça de Defesa da Saúde (Prosus) recomendou que a SES/DF anule, o mais rápido possível, todos os contratos temporários assinados com médicos e técnicos de enfermagem da Administração Direta ou Indireta do DF. De acordo com um levantamento realizado pelo Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MPDFT) - feito por meio do Portal Transparência do GDF -, 132 médicos contratados temporariamente já são servidores públicos da própria Secretaria.

Ainda de acordo com o MPDFT, em janeiro de 2012, quando os primeiros contratos temporários foram celebrados, o GDF alegou que não havia tempo hábil para realizar um concurso público, pois existiria um déficit de servidores na área de saúde. No entanto, a Prosus questionou o porquê de, mesmo dois anos depois, a SES/DF continuar realizando processos seletivos simplificados para contratação temporária sendo que os funcionários já são efetivos da Secretaria.

Fonte: Correio Web