Seduc oferta mais de 3.500 vagas para Pronatec no PI

Em dois anos, o Programa Nacional de acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec) já conseguiu ofertar no Piauí mais de 3.500 vagas

David dos Santos, de 19 anos, está cursando o técnico em Administração na Unidade Escolar Lourival Parente, localizada na zona Sul de Teresina, desde novembro do ano passado. Todo conhecimento adquirido fez com que o estudante escolhesse, além do técnico, fazer também o superior para a mesma área. ?Fiz o ensino médio no Lourival e quando estava no terceiro ano comecei a fazer parte do Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Profissional, mais conhecido como Pronatec?, conta David.

De segunda a sexta-feira, no turno da noite, o aluno sai de sua casa, que fica no Parque Piauí, em direção a escola.

Lá ele recebe todas as aulas teóricas, junto com outros 22 jovens. ?O curso é crucial para o jovem, porque facilita a entrada dele no mercado de trabalho?, acrescenta o estudante que recebe, através do programa, uma bolsa de R$ 120,00 para custear o transporte e alimentação.

A história de David é a mesma de milhares de piauienses, que fazem parte do Pronatec, que tem como objetivo principal incluir socialmente. Por meio da realização dos cursos de qualificação profissional promovidos pelo Programa, é proporcionado aos alunos das escolas públicas oportunidades e condições de novas tarefas técnicas, contribuindo com sua interação e inserção no mercado de trabalho.

A proposta do Programa é atender alunos regularmente matriculados em escolas públicas estaduais do Piauí e alunos advindos da Educação de Jovens e Adultos e Educação Técnica Profissional. O Programa Nacional de acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec) compreende a mais ambiciosa reforma já realizada na Educação Profissional e Tecnológica (EPT) brasileira.

No Piauí, a Seduc é parceira demandante desde a criação do Programa,o que implica dizer que desde então alunos da rede estadual do ensino fundamental, médio e EJA (4ª a 7ª etapas) são contemplados com cursos de Formação Inicial Continuada (FIC) na forma concomitante.

?Nesse período, tínhamos como parceiros ofertantes o SENAC, SENAI e IFPI. Já em 2012, nossos parceiros ofertantes se ampliaram compondo a lista SENAR, UFPI (através dos Colégios Agrícolas) SENAT e em 2013 o SEBRAE com o Pronatec Empreendedor, para os cursos que têm a disciplina Empreendedorismo?, comenta a coordenadora do programa na Secretaria Estadual de Educação (Seduc), Lídia Maria de Carvalho.

Em 02 de julho de 2012 a Seduc, através do secretário de Educação Átila Lira, assinou Termo de Adesão com a SETEC/MEC e passou a ser, também, parceiro ofertante no âmbito da Bolsa Formação Estudante, oportunizando a alunos do ensino médio regular e EJA de 6ª e 7ª etapas da rede estadual cursarem na forma concomitante cursos de nível técnico.

Inicialmente, em 2012, a Seduc ofertou 880 vagas nos cursos de Técnico de Segurança do Trabalho, Administração e Informática. Com os cursos, foram beneficiados os municípios de Teresina, Picos, Oeiras, Floriano e Parnaíba e 10 Escolas de Educação Profissional. Já na oferta de 2013, a Seduc ofereceu 2653 vagas em 08 cursos: Técnico de Segurança do Trabalho, Administração, Informática, Instrumentos Musicais, Manutenção e Suporte em Informática, Enfermagem, Contabilidade e Recursos Humanos; e essa oferta atendeu 33 municípios e 47 escolas.

Além das iniciativas voltadas ao fortalecimento do trabalho das redes de educação profissional e tecnológica existentes no país, o Pronatec criou a Bolsa-Formação, por meio da qual são oferecidos, gratuitamente, cursos técnicos para quem concluiu o Ensino Médio e para estudantes matriculados no Ensino Médio e cursos de formação inicial e continuada ou qualificação profissional.

Participante de curso já criou mais de 20 sites

Cristóvão Pereira, de 19 anos, também estava no terceiro ano quando conheceu o programa. Ele estudava na Escola Joca Vieira e logo que soube, se inscreveu no curso de Informática. As aulas do estudante acontecem no CETI Maria Melo (Ana Bernardes) durante o período da noite. Depois de receber alguns conhecimentos do universo da informática, em apenas 1 ano e 2 meses de curso, Cristóvão já criou mais de 20 sites e pretende trabalhar na área de web design e com programação.

?O professor pediu para a gente fazer um site no final do curso, então eu já fui treinando. Fiz só para praticar mesmo, mas o que estou finalizando é o que vou mostrar no final do curso?, comenta ao ressaltar que todos os seus trabalhos ainda precisam ser aperfeiçoados.

Segundo Dina Mesquita, apoio do Pronatec na escola, o CETI oferece os cursos de Informática, Administração e Segurança do Trabalho. ?Temos uma turma de cada curso, cada uma com 40 alunos?, coloca.

A coordenadora do programa na Seduc, Lídia Maria de Carvalho, diz ainda que o Pronatec tem uma grande importância social e econômica, já que está gerando uma grande transformação, sobretudo na vida dos estudantes por ele atendidos o que representará perspectiva de ascensão social, colocação no mundo do trabalho, como já se tem alguns casos de estudantes egressos de cursos FIC inseridos.

Como participar?

O Pronatec 2013 tem ofertas de cursos de educação profissional e tecnológica em quase todo o Brasil, prevendo até o ano que vem 8 milhões de vagas disponíveis, através da parceria entre governo federal e os sistemas nacionais de aprendizagem.

Quando abertas, as inscrições podem ser feitas através do site do Pronatec, porém ainda não há um sistema único de inscrições em razão das diversas iniciativas do Programa, com isso as inscrições para o Pronatec podem ser feitas através de escolas públicas estaduais, instituições federais de educação e nos sistemas nacionais de aprendizagem Senai, Senac, Sesc e Sesi, os quais poderão ter critérios próprios para selecionar os participantes do Pronatec.

As vagas gratuitas oferecidas no Programa são destinadas principalmente a estudantes e trabalhadores, com baixa renda. Podem inscrever-se: trabalhadores rurais; índios e quilombolas; menores que cumprem medidas socioeducativas; pessoas desempregadas; portadores de deficiência; beneficiários de programas federais de repasse de renda ou inscritas no CadÚnico; alunos de escolas públicas que cursam o Ensino Médio; pessoas com baixa do Serviço Militar ou atiradores de Guerra, do Exército e Aeronáutica.

Para que os interessados não percam a chance de fazer um curso pelo Programa, o ideal é se informar na secretaria de educação do Estado ou ainda nas unidades regionais dos sistemas nacionais de aprendizagem. Cada munícipio possui diferentes cursos e disponibilidades de vagas para inscrição. Através do site do Pronatec também é possível realizar consulta de vagas nos municípios ofertantes.

Fonte: Aline Damasceno