Sindicato vai pedir embargo de edital do concuso da UFPI

Sindicato dos Radialistas do Piauí quer embargar o edital do concurso da Universidade Federal em razão da não exigência do registro profissional

O Sindicato dos Radialistas do Piauí vai pedir o embargo do edital do concurso da Universidade Federal do Piauí (UFPI), lançado na semana passada.

A coordenação do Sindicato alega que alguns cargos, que só podem ser exercidos por radialistas, não exigem o registro profissional aos concorrentes.

Os cargos que deveriam exigir o registro, junto à Delegacia Regional do Trabalho (DRT), são Operador de Câmera de Cinema e TV, Técnico de Som, Locutor, Programador de Rádio e Televisão.

Ao perceber a falha no edital, o coordenador do Sindicato dos Radialistas e secretário nacional de Registro Profissional da Federação dos Radialistas, J. Filho, afirma que tentou entrar em contato com o setor responsável pelo certame, na UFPI, mas não obteve retorno.

?Eu liguei várias vezes e o máximo que consegui foi um contato com a pessoa responsável por esse assunto, intermediado por sua secretária.

Ela disse que ele pediu meu número de telefone para me ligar posteriormente, eu dei, mas isso não aconteceu. Mas não podemos aceitar que esse edital siga dessa forma. Não somos contra o concurso, só queremos que acrescentem a exigência do registro profissional?, pontuou.

Além dos cargos em questão, o Sindicato dos Jornalistas do Piauí também questiona a não exigência da DRT para a vaga de fotógrafo. ?A fotografia é uma das funções que devem ser exercidas por jornalistas e um concurso que oferece vagas nessa área precisa exigir o registro profissional?, argumentou o presidente do Sindicato, José Olímpio.

Para os cargos em que, segundo os sindicalistas, a exigência do registro profissional de radialista deveria ser obrigatório, o edital do certame pede apenas que o candidato tenha ensino médio completo e seis, 12 ou 24 meses de experiência, dependendo do cargo.

Já para prestar o concurso para a vaga de fotógrafo é exigido apenas que o candidato tenha o ensino fundamental completo e 12 meses de experiência na área.

?Não podemos aceitar o edital da forma como está. Vamos tentar tomar providências na Justiça, em nível estadual.

Se não tivermos o retorno que queremos, vamos fazer isso em nível nacional. Já vamos acionar a Fitert (Federação Interestadual dos Trabalhadores em Radiodifusão e Televisão), para que sua direção também seja informada do assunto?, pontuou o radialista Val Moraes, do Sindicato dos Radialistas do Piauí.

Fonte: Pollyana Carvalho