Tire suas dúvidas sobre conteúdo que são cobrados nos concursos

Tire suas dúvidas sobre conteúdo que são cobrados nos concursos

Especialista ainda fala sobre cobrança na prova e retificação de editais

?Se o órgão solta uma retificação com a inclusão de novos itens para o conteúdo programático, quer dizer que esses novos assuntos serão cobrados na prova com certeza? Devo me dedicar a estudar esse novo conteúdo da mesma forma que me dediquei aos demais previstos no edital??, questiona a internauta Ana Amanda Benfica.

Lia afirma que o concurso é a forma que a administração pública utiliza para contratar novos servidores com os conhecimentos necessários para o exercício de suasatividades. ?A retificação do edital para inclusão de novos itens significa apenas que tópicos que estavam planejados para estar no edital não constaram?, completa.

A especialista reitera que a internauta deve estudar os novos assuntos como os outros, já que eles podem ser cobrados na prova. Apesar disso, não existe uma garantia que haverá questões sobre todos os assuntos. ?É impossível uma prova cobrar todo o conteúdo listado no edital.?

Para que a internauta esteja preparada, Lia recomenda a resolução de muitas provas anteriores, já que cada banca tem seus assuntos preferidos, que são cobrados com mais frequência e precisam ser muito bem estudados.

A especialista ressalta que assuntos novos e alterações de legislação também costumam ser incluídos nas provas.

Prova

A internauta Maria Compressa vai fazer o concurso do Departamento de Ciência e Tecnologia Aeroespacial para o cargo de analista de recursos humanos e tem uma dúvida sobre o conteúdo da prova. ?No concurso passado só foi pedido nível superior em humanas. Agora, eles pedem formação em administração, direito ou administração pública. Será que podemos aferir que a prova terá conteúdo mais voltado para legislação??, pergunta.

O concurso será realizado pela Fundação Vunesp e segundo a especialista, as disciplinas básicas cobradas são as mesmas do edital de 2009, com o mesmo número de questões.

Já na parte de conhecimentos específicos, o conteúdo está mais atual na área de gestão de recursos humanos, já que fala em metas e indicadores de desempenho, de acordo com Lia. O edital também trata de previdência complementar, que é uma alteração recente e, por isso, tem grandes chances de ser cobrada.

?Não acredito que o fato de exigirem formação específica indique que a prova será especialmente voltada para legislação. Apenas a administração pública pode ter percebido que precisa de um perfil mais específico de funcionário para atender às suas necessidades?, completa Lia.

Novos conteúdos

?Quando o órgão passa a exigir novos conteúdos para as provas, que não eram previstos nos editais anteriores, quer dizer que eles querem novos conhecimentos dos candidatos, independentemente da formação deles, ou na verdade eles estão manipulando para que candidatos com determinadas formações assumam os cargos??, pergunta a internauta Roberta Dupont.

?Sou uma ferrenha defensora dos concursos públicos, porque acredito que são um meio democrático de acesso aos cargos na administração pública. Normalmente, a base dos editais é elaborada por uma comissão dentro do órgão e não há muito espaço para favorecimentos?, afirma a especialista.

Ela lembra que em qualquer lugar onde existem seres humanos também podem haver problemas, entretanto, Lia ressalta que é mais razoável observar que existe uma tendência nos concursos de exigir novas disciplinas e aprofundar o conteúdo. ?Até mesmo o estilo de questões está cada vez mais sofisticado.?

De acordo com Lia, a administração precisa acompanhar a evolução da sociedade para prestar serviços compatíveis com essa necessidade, e para isso, precisa de servidores com novas qualificações. ?O que era cobrado há alguns anos já não está de acordo com a necessidade atual dos órgãos e instituições.?

A especialista não indica que os candidatos estudem por provas de concursos muito antigas, já que elas possuem um perfil bastante diferente dos atuais.

Fonte: G1