Uespi abre o prazo de seleção pública com 671 vagas abertas

Uespi abre o prazo de seleção pública com 671 vagas abertas

O processo seleciona professores formadores, orientadores e supervisores de estágio para o Plano Nacional de Formação de Professores da Uespi

Estão abertas inscrições para a seleção de professor formador, orientador e supervisor de estágio para o Parfor/Uespi (Plano Nacional de Formação de Professores). São 671 vagas para 12 cursos em 23 municípios núcleo/polo ou campi da Universidade Estadual do Piauí. Os candidatos já podem se inscrever para a seleção nas sedes da instituição entre os horários de 8h às 16h da tarde.

Os aprovados irão atuar em aulas totalmente presenciais em regime intensivo e de férias. As próximas turmas terão aulas entre os dias 11 de junho e 12 de julho de 2014. As seleções para professores acontece a cada semestre e é permitida a candidatura aos professores do quadro permanente da Uespi ou profissionais que estejam cursando pós- graduação Strictu Sensu desde que não seja beneficiado com bolsas oferecidas pela Capes, CNPq, UAB e demais programas financiados pelo FNDE. Municípios como Teresina, Canto do Buriti, Esperantina, Paulistana e União serão alguns dos contemplados com turmas do Parfor.

O Parfor é um programa de iniciativa e colaboração da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), de caráter emergencial instituído em 2009, com o objetivo de oferecer formação de nível superior de qualidade aos professores do Ensino Básico público em exercício. O plano contribui com a formação mais adequada de professores à Lei de Diretrizes e Base da Educação Nacional (LDB).

De acordo com o coordenador geral do Parfor na Uespi, o professor Raimundo Dutra, atualmente a universidade tem 3.200 alunos matriculados em cursos do programa. ?Os cursos beneficiam os professore do Ensino Básico público, em nível estadual ou municipal. Um dos aspectos previstos pelo Parfor é oferecer licenciaturas aos professores, primeira ou segunda, no caso de professores já licenciados que atuam em áreas do conhecimento diferentes das sua formação, sendo que esta é uma situação bastante comum em todo o Brasil?, disse Dutra.

Fonte: Samira Ramalho