Veja como lidar com frustrações durante o estudo para concursos

Veja como lidar com frustrações durante o estudo para concursos

Colunista fala sobre doença perto da prova, desânimo e mudança de foco

A especialista em concursos Lia Salgado fala sobre como os candidatos podem lidar com a frustração durante o período de estudo.

Lia ressalta que a aprovação não é algo que se consegue do dia para noite e, por isso, é preciso estar preparado para lidar com as situações difíceis como a reprovação e mesmo assim continuar seu projeto.

"Fiquei doente perto do dia da prova, o que eu faço?", pergunta a internauta Maria Cristina Ramos.

Segundo Lia, os candidatos devem ficar atentos para manter o equilíbrio durante a preparação para o concurso, cuidando da saúde todos os dias. "Se você ficou doente e não pode fazer a prova, é realmente doloroso, porque em alguns casos pode ter significado o investimento de meses. Mas o conhecimento não vai ser jogado fora e certamente haverá outros concursos. O jeito é esperar um pouco, sacudir a poeira e retomar os estudos", afirma.

Para a especialista, a preparação deve ser mantida mesmo quando houver suspensão ou anulação de concursos, doença na família ou qualquer outra situação que possa frustar a expectativa do candidato.

Por isso, a recomendação da colunista é que a preparação seja feita para uma área e não somente para um concurso. Assim, é possível aproveitar várias oportunidades e fica mais fácil enfrentar algum problema, já que sempre haverá uma nova seleção. "Nada de desistir, porque aí sim o prejuízo seria enorme. Mesmo que você pense que perdeu o ?concurso da sua vida?, haverá outros. Mas, se parasse de estudar, estaria abrindo mão do projeto de mudar a sua vida. E isso seria realmente muito grave", completa Lia.

Retomar a empolgação

A internauta Josefina Borges não foi aprovada nos primeiros concursos que fez e ficou desanimada. "O que fazer para retomar a empolgação?", questiona.

De acordo com Lia, a preparação para concurso requer tempo e é um processo de amadurecimento gradativo. É preciso conhecer a teoria, aprender a resolver as questões, ter controle emocional e uma boa estratégia na hora da prova.

"A reprovação faz parte da história de quase todo candidato. Eu fui reprovada três vezes e depois fui aprovada em 5º lugar como fiscal. E digo que valeu muito a pena", reforça a especialista.

Para retomar o ânimo, Lia sugere que a internauta continue com a rotina de estudo, sem se preocupar com a aprovação. É importante ter organização para ter um dia de descanso e lazer e para dormir ao menos 6 horas por dia. Também é necessário ter uma alimentação adequada e fazer intervalos para o estudo.

A especialista sugere a leitura da coluna sobre planejamento de estudo para concursos.

Estudo para o INSS

A internauta Jayanne está estudando para o concurso do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), mas ficou desanimada com as mudanças na oferta de vagas e com o adiamento da publicação do edital. "Pensei que seria agora e já que estou de férias do trabalho, estou me dedicando aos estudos. Agora, teremos um concurso do Tribunal Regional do Trabalho da Bahia, com edital previsto para julho.

Fiquei pensando em estudar, mas acho que posso perder o foco inicial. Qual a sua dica para essa situação?", pergunta.

O concurso para o INSS estava previsto para julho, com 500 vagas autorizadas. Agora, a portaria anterior foi revogada e foram autorizadas 300 vagas, com prazo de 4 meses para a publicação do edital.

"A gente nunca sabe com certeza quando um edital será publicado. Claro que desta vez foi inesperado, já que o prazo para a publicação estava se esgotando e o número de vagas já estava autorizado. Mas 300 vagas ainda é bastante coisa e um tempinho a mais para estudar pode ser útil. A não ser que você já esteja craque em todas as matérias", ressalta Lia.

A colunista lembra que muitos candidatos estudam para tribunais com antecedência, já que os concursos acontecem com frequência e, por isso, a internauta pode ficar em desvantagem. Já no caso do INSS, a vantagem seria da internauta, pois ela já está estudando para o concurso.

Os editais para o TRT costumam cobrar disciplinas diferentes do INSS, o que pode fazer com que a internauta deixe de estudar para o seu objetivo principal e também não consiga se preparar adequadamente para a sua segunda opção.

Lia sugere que a internauta mantenha o foco no INSS até que o edital do TRT seja divulgado. Ela lembra que só vale investir se a quantidade de matérias novas não for muito grande. "Por outro lado, depois que passar o INSS, se o resultado não for o esperado, aí sim você poderia retomar os estudos e mudar o foco para tribunais", finaliza.

Fonte: G1