Fim de ano: Saiba como planejar os estudos para o concurso do INSS; salário até R$ 9.000

Fim de ano: Saiba como planejar os estudos para o concurso do INSS; salário até R$ 9.000

O concurso para o INSS é um dos mais aguardados do ano porque oferece muitas vagas em todo o país e salários atrativos


Veja como planejar os estudos para o concurso do INSS

O concurso para o INSS é um dos mais aguardados do ano porque oferece muitas vagas em todo o país e salários atrativos. São 1,5 mil para técnico do seguro social e 375 para médicos.

A remuneração para técnico chega a quase R$ 4.500 e é exigida a conclusão de curso de nível médio ou técnico equivalente. Já o perito médico receberá mais de R$ 9.000 e precisará ter graduação em medicina e registro no CRM.

Os candidatos aos cargos participarão de provas objetivas, e os médicos terão ainda prova de títulos, cujos critérios, forma de apresentação de documentos e pontuação estão detalhados no edital.

Com provas previstas para o dia 12 de fevereiro, é preciso muita organização para aproveitar as semanas que restam. Já havíamos sugerido anteriormente que os candidatos iniciassem os estudos antes da publicação do edital. Quem seguiu o conselho terá apenas de fazer alguns ajustes ?das 7 disciplinas que serão cobradas, 6 já faziam parte da programação. Quem preferiu aguardar as informações do edital tem à frente uma empreitada mais árdua.

Festas de fim de ano

O período de festas de fim de ano não é dos mais propícios para o estudo, mas se você está mesmo determinado a conquistar uma das vagas, precisa abrir mão das comemorações atuais para ter o que comemorar após o concurso. É um sacrifício válido e repetido a cada ano por muitos candidatos.

Disciplinas

Uma providência que costuma ser útil é preparar o calendário com os dias até a prova e ali distribuir o que será estudado a cada período. Isso ajuda a dar um sentido de urgência e evita que o candidato deixe o tempo passar sem proveito.

Para os técnicos, as disciplinas cobradas são português, direito constitucional (apenas noções), direito administrativo (Regime Jurídico Único fica incluído aí), informática, raciocínio lógico (com alguns pontos de matemática) e ética, como conhecimentos gerais. O direito previdenciário e a legislação correlata fazem parte dos conhecimentos específicos. Exceto a parte específica, todas as outras matérias costumam ser cobradas em outros concursos e isso deve ser uma motivação a mais para os candidatos: o objetivo atual é o concurso para o INSS, mas o investimento poderá ser aproveitado também em oportunidades futuras.

Vale lembrar que o tempo dedicado a cada matéria não precisa nem deve ser igual. É preciso priorizar os conteúdos nos quais o candidato tem menos conhecimento e ficar atento às disciplinas que terão mais importância na prova. No caso do INSS, serão cobradas mais questões na parte dos conhecimentos específicos e, por isso, pode ser mais produtivo escolher o melhor horário do dia para o estudo dessas matérias. No mínimo, o candidato precisará acertar 30% das questões referentes aos conhecimentos gerais (serão 20 questões para os técnicos e 30 para os médicos), 30% dos conhecimentos específicos (40 para os técnicos e 50 para os médicos) e 40% do total das provas. Quem não conseguir será eliminado do concurso.

A resolução de provas anteriores da banca examinadora Fundação Carlos Chagas é muito importante e não será difícil encontrar questões de outros concursos, em especial das disciplinas comuns. Atenção apenas aos itens cobrados no edital, para não perder tempo com questões que não fazem parte do que será cobrado nesse concurso.

Quanto ao direito previdenciário, é preciso cuidado com gabaritos antigos, uma vez que a legislação pode ter sofrido modificações que venham a alterar as respostas. O site da FCC disponibiliza provas de concursos anteriores e há também sites gratuitos e pagos, especializados no assunto.

Planejamento

No quadro abaixo, deixamos uma sugestão de planejamento para quem vai concorrer a uma vaga de técnico previdenciário e está somente dedicado aos estudos. Cada candidato deverá ajustar o quadro para adequá-lo à sua situação, reduzindo o tempo de algumas matérias e aumentando o de outras. Também o horário da noite poderá ser utilizado para o estudo, desde que seja feito um bom intervalo após o turno da tarde. É importante fazer intervalos a cada hora e meia ou 2 e entre os turnos.

Para quem está trabalhando e vai estudar somente no turno da noite, a distribuição poderá ser semelhante, apenas reduzindo o número de horas.

O domingo livre não é luxo nem desperdício -ajuda a manter o equilíbrio e a produtividade durante a semana. Quem está com pouco tempo para estudar durante a semana poderia incluir a manhã de domingo, não mais do que isso. E a última semana (do dia 6 de fevereiro) deve ser dedicada à revisão dos conteúdos. A véspera da prova é para repouso e lazer tranquilo. Boas condições emocionais e cérebro descansado são condições essenciais para se obter o melhor resultado.

Quem vai concorrer a uma vaga de perito médico pode também aproveitar a sugestão do quadro acima, retirando as matérias informática e raciocínio lógico (não fazem parte do conteúdo programático para esse cargo) e substituindo o previdenciário pelas específicas relacionadas ao seu cargo.

Todos os candidatos devem estar atentos ao horário de prova na sua cidade, uma vez que será considerado o horário de Brasília, e temos alguns locais com horário de verão e outros não.

Fonte: g1, www.g1.com.br