Veja dicas para os concursos do TRT de SC e Banco da Amazônia

Veja dicas para os concursos do TRT de SC e Banco da Amazônia

Concursos para nível médio e superior devem ser bastante disputados. Especialistas dão dicas de estudo para os candidatos.

Candidatos de todo o país estão com várias opões de concursos com inscrições abertas em todas as esferas e em todas as áreas, como bancárias, judiciárias e administrativas, entre outras. Dois deles que devem receber muitas inscrições são do Tribunal Regional do Trabalho da 12ª Região (Santa Catarina) e Banco da Amazônia.

O concurso do Tribunal Regional do Trabalho de Santa Catarina para 75 vagas de técnico e analista está com inscrições abertas até dia 13 de junho. São 53 vagas de nível superior e 22 de nível médio. Os salários são de R$ 4.635,03 para técnico e de R$ 7.566,42 a R$ 9.228,70 para analista. O exame é organizado pela Fundação Carlos Chagas e tem provas previstas para 21 de julho em diversas cidades do estado. Entre as disciplinas cobradas estão direito e legislação, língua portuguesa e administração pública e orçamento.

Rogério Renzetti, autor do livro ?Direito do trabalho para concursos?, da editora Elsevier, aconselha os candidatos a terem foco em língua portuguesa e na redação. ?O candidato deve dar uma atenção especial à língua portuguesa, pois um bom resultado pode trazer uma situação confortável na média final. Também é muito importante o treinamento de pelo menos uma redação por semana, observamos que muitos candidatos não sabem escrever ou não conseguem desenvolver as propostas apresentadas pelo examinador?, diz.

Segundo ele, outro destaque fica para matemática e raciocínio lógico, cobrados para técnico, que, embora tenham poucas questões, já tiraram do páreo excelentes candidatos. ?Quanto ao direito, costumo dizer aos meus alunos que após uma boa preparação, é obrigação gabaritar.?

Sobre as armadilhas que costumam cair nas provas feitas pela FCC, Renzetti afirma que a entidade mudou um pouco seu modelo de provas. ?Se consultarmos os últimos exames, vamos observar uma cobrança da parte doutrinária e jurisprudencial que inicialmente não existia. As ?pegadinhas? são as de sempre: a banca inverte a ordem de um dispositivo de lei, insere uma exceção onde não existe, ou ainda, um ?sempre? ou ?nunca? na assertiva, o que deixa o candidato desesperado na hora do certame?, diz.

?O candidato tem que tomar muito cuidado com o material que reservou para a sua preparação. A quantidade e tamanho dos livros e apostilas devem dar lugar à qualidade e à objetividade. O candidato deve ter uma legislação atualizada e um bom livro de resumo. A resolução de questões e provas anteriores é indispensável na fixação da matéria. Todos os candidatos aprovados que conheço utilizaram esse método de estudo. Lembre-se: os concursos para os TRTs estão disputadíssimos e você deve conseguir ?equilibrar os pratos?, o conteúdo programático está crescendo a cada edital e você não pode perder o seu tempo já que sonha com a sua vaga?, afirma.

Sobre a disciplina de direito do trabalho, o especialista sugere que o candidato priorize o artigo 7º da CF (com suas recentes alterações), os sujeitos do contato de trabalho, contrato individual de trabalho, suspensão e interrupção do contrato de trabalho, rescisão do contato de trabalho (com destaque especial para as hipóteses de justa causa previstas no artigo 482 da CLT, muito cobradas pela FCC), remuneração e salário, aviso prévio, FGTS (para os analistas, atenção com o artigo 20 da Lei 8.036/90), estabilidade da gestante e direito coletivo de trabalho, além da súmulas e orientações jurisprudenciais do Tribunal Superior do Trabalho, ?que hoje representam gabarito em prova?.

Para Renzetti, a melhor tática de estudo para esse concurso é o planejamento. ?O candidato deve iniciar os estudos antes da publicação do edital. O ideal é que planeje o estudo de uma disciplina por dia com teoria e resoluções de questões. E reserve um dia na semana para o seu descanso. Assim, quando estiver próximo da prova, poderá revisar os pontos que sente maiores dificuldades e resolver o maior número de questões possíveis da banca examinadora?.

Banco da Amazônia

Outro concurso que deve ser bastante disputado, o de técnico bancário do Banco da Amazônia que, segundo a Fundação Cesgranrio, está tendo muita procura de candidatos ? as inscrições estão abertas até 17 de junho -, com prova prevista para o dia 15 de julho. O concurso abrange os estados de Amazonas, Roraima, Para, Amapá, Acre, Rondônia, Maranhão, Tocantins, Mato Grosso e São Paulo, além do Distrito Federal. A seleção é para formação de cadastro de reserva e os aprovados terão remuneração de R$ 1.520.

A prova objetiva de conhecimentos básicos será composta de língua portuguesa (10 questões), de matemática (10 questões), atualidades (5 questões) e noções de informática (5 questões). A prova objetiva de conhecimentos específicos terá 30 questões, sobre conhecimentos bancários e sistema financeiro.

Será eliminado o candidato que obtiver aproveitamento inferior a 50% do total da pontuação da prova objetiva de conhecimentos específicos ou aproveitamento inferior a 40% do total da pontuação da prova objetiva de conhecimentos básicos ou obtiver grau zero em qualquer das matérias da prova de conhecimentos básicos.

De acordo com João Antônio Carvalho, autor do livro ?Noções de informática para concursos?, da Elsevier, o assunto mais abordado na disciplina de informatica é internet, principalmente conceitos e programas.

Carvalho diz que os candidatos não terão problemas com pegadinhas por parte da banca organizadora, porque ela tem um perfil muito ?limitado?, ou seja, é fácil se acostumar. Mas como em qualquer prova, alerta que é preciso ter atenção e resolver muitos exercícios de outras provas aplicadas pela banca.

?As questões de Excel da Cesgranrio são famosas. Eles usam fórmulas muito grandes, que exigem uma atenção especial do candidato?, diz.

Para os candidatos que já estão se preparando para a prova ou outros que ainda começarão os estudos, Carvalho lembra que não há fórmula para passar em concursos públicos.

?Não se deixem levar por textos de autoajuda, não se percam no Facebook ou nos fóruns. Apenas estudem. Peguem questões da Cesgranrio e façam-nas à exaustão. Analisem as matérias que mais valem nessa prova, seja em peso ou em quantidade de questões, e dediquem mais tempo a elas. De resto, é só estudar mesmo.?

Fonte: G1