Confira o vídeo da briga entre os jornalistas Oscar Filho do CQC e Gil Sobreira

Confira o vídeo da briga entre os jornalistas Oscar Filho do CQC e Gil Sobreira

Tudo começou quando Oscar Filho foi ao município piauiense para gravar uma entrevista para o quadro

Desde domingo (16), os jornalistas Oscar Filho, do programa CQC, e Gil Sobreira, de Esperantina, estão envolvidos em uma polêmica que já ganhou o noticiário nacional, inclusive um vídeo da discussão entre os comunicadores foi divulgado no You Tube e circula pela internet.

Tudo começou quando Oscar Filho foi ao município piauiense para gravar uma entrevista para o quadro "Proteste Já" com o prefeito Lourival Bezerra (PSDB), que é acusado de envolvimento de fraudes em licitações. VEJA MATÉRIA

Segundo relatos do integrante do CQC, a equipe de assessores o impediu que entrasse na prefeitura para conversar com o prefeito sobre as acusações. Oscar Filho afirmou que Gil Sobreira puxou sua gravata, tentou tomar seu microfone e ainda bateu na câmera, machucando o dedo.



"Isso mesmo! O mesmo jornalista que antes denunciava, depois de contratado [pela prefeitura], passou a ser porta-voz informal do prefeito. Ele não quis dar entrevista também. Foi agressivo, tentou me intimidar vindo falar perto do meu rosto, gritou, empurrou a mim e o cinegrafista, tentou tomar meu microfone, e deu um soco na câmera. Para o azar dele, machucou o dedo neste momento. Veio na minha direção e passou o dedo dele com sangue na minha camisa, talvez para tentar me incriminar mais tarde? "Jornalista" esperto ele, né?", postou o jornalista da Bandeirantes em seu blog.



Em contrapartida, Gil Sobreira afirmou que a discussão teria começado logo após Filho ter chamado Esperantina de ?cidade merda?. O fato foi que a confusão foi parar na delegacia, revoltado com a situação Oscar Filho registrou um Boletim de Ocorrência logo após ser impedido de entrar na prefeitura.



Gil Sobreira confirmou que, a pedido da produção do "CQC", mandou à produção do programa apenas um link em que aparece a denúncia sobre a suposta propina a que Oscar se referiu. E contou que na hora da briga, ele estava só explicando ao repórter da Band quem ele deveria entrevistar de fato. Ele garantiu que não houve agressão física da parte dele.



"Disse ao Oscar que ele deveria entrevistar o verdadeiro dono da empresa, que não é o Edimilson Portela, conhecido como Didi do Açougue. Na verdade, ele deveria entrevistar o José Mesquita de Resende. Quis dizer que a pessoa que se diz dona da empresa não é", afirmou.

Segundo Gil, a confusão aconteceu porque Oscar gosta muito de fazer chacota com as pessoas. "Comecei a chacotear com ele também. Disse: "olha, rapaz, se tu fosse bom, tu estava na Globo. Tu acha que as pessoas do Nordeste são idiotas?". E ele falou: "Estou aqui nessa cidade de merda". Quando fui pegar na gravata dele para dizer que as coisas não são como ele pensa, "ele deu um supetão". Aí se irritou e me agrediu e me xingou. E eu também a ele. Mas não houve agressão física. Ele arranhou minha mão. Então fiz um exame de corpo de delito para me precaver. Esse rapaz acha que pode vir tirar onda com todo mundo. Se mostra tão profissional, mas não foi entrevistar o verdadeiro dono da empresa", criticou.



Gil reafirmou que não agrediu o repórter do "CQC". "Não tenho interesse nenhum de bater em ninguém. Nunca briguei em toda a minha vida. Não ia ser com o Oscar que ia brigar. Mas não levo desaforo para casa. Vou processá-lo por agressão e dano moral. Ele pegou um osso duro de roer. Ele nunca imaginou que no Piauí houvesse uma pessoa que pudesse discutir com ele de igual para igual. Veio para cá com olhar de cima", contou.







Fonte: Waldelúcio Barbosa