Conheça a síndrome de fim de ano e como ela prejudica a saúde do coração

Excessos podem prejudicar a saúde do coração

Muita gente pode nunca ter ouvido falar, mas a síndrome de fim de ano existe e pode prejudicar o coração. Devido às festividades de Natal e Ano-Novo, quando os excessos com calorias e bebidas alcoólicas são mais frequentes, as pessoas costumam sair da rotina. Mas é importante focar em outros momentos dessas celebrações e manter o controle à mesa, uma vez que o coração pode ser prejudicado pelo acúmulo de gordura ingerido de forma desregular.

Além das comidas e bebidas, o estresse característico da época, o encerramento de projetos e o planejamento de metas para o ano que chega são outros fatores que influenciam diretamente na saúde cardíaca. Pesquisas americanas apontaram um aumento nos casos de doenças cardíacas entre os meses de dezembro e janeiro, e um pico de ataques cardíacos entre o Natal e Ano-Novo, o que os estudiosos chamam de Holiday Heart Syndrome (síndrome de fim de ano).

Segundo o cardiologista Victor Lira, o excesso de comidas gordurosas, com grande ingestão de sal e de bebida alcoólica pode acarretar em complicações para o coração. Ele coloca que o abuso do sal, por exemplo, pode gerar um aumento na pressão arterial, inchaço dos membros inferiores, insuficiência cardíaca e falta de ar.

“Os alimentos típicos desta época, como as carnes e acompanhamentos como farofa, maionese e molhos, são ricos em gorduras saturadas e podem afetar negativamente os níveis de colesterol no sangue, tornando-se mais um agravante para o coração, uma vez que este acúmulo forma placas de gordura nas artérias, propiciando o surgimento de angina ou até infarto”, explica. No caso das bebidas alcoólicas, o consumo em excesso pode aumentar os níveis de triglicérides no sangue. Já para as bebidas destiladas, como uísque e vodca, o malefício pode ser ainda maior, já que seu consumo em doses elevadas pode causar danos ao músculo do coração.

Mesmo com mesa farta de tentações e bebidas alcoólicas, é possível se divertir sem colocar em risco a saúde. O segredo está na quantidade consumida e na moderação. O indicado para um efeito benéfico do álcool é o consumo de no máximo uma dose de 40 ml de bebida destilada (vodka, uísque, cachaça), 150 ml de vinho ou, no máximo, uma lata de cerveja (335ml). Para prevenir problemas, alguns cuidados são essenciais, principalmente para aqueles que já têm propensão às doenças cardíacas.

Clique aqui e curta o Portal Meio Norte no Facebook

Fonte: Virgínia Santos e Aline Damasceno