Contran adia para 2010 obrigatoriedade do sistema antifurto

Equipamento não poderá mais rastrear os veículos

O governo federal adiou para fevereiro de 2010 o início da instalação de equipamentos antifurtos obrigatórios nos veículos novos, que estava previsto para 1º de agosto. Após reuniões com representantes das montadoras, ficou decidido que a partir de 1º de agosto o sistema será implantado em forma de teste em uma chamada "operação assistida".

O equipamento vai apenas bloquear o carro, e não mais rastrear, como previa o projeto original. O Conselho Nacional de Trânsito (Contran) publicou nesta quinta-feira (23), no Diário Oficial da União, uma deliberação que vai dar início a uma “operação assistida” do dispositivo antifurto nos veículos novos que sairão de fábrica.

A partir de 1º de agosto, alguns carros, motos e caminhões sairão das linhas de montagem com o equipamento que determinam o bloqueio autônomo, bloqueio remoto e a função de localização. O dispositivo também será implantado em carros produzidos no exterior, a serem licenciados no Brasil. Por determinação da Justiça Federal, os equipamentos não vai mais poder “rastrear” os veículos, apenas bloqueá-los. Por isso, o Contran teve de alterar a redação do primeiro parágrafo da deliberação 245 sobre o uso do equipamento.

Pelo novo texto, publicado nesta quinta-feira (23), “o equipamento antifurto deverá ser dotado de sistema que possibilite o bloqueio autônomo (local) e bloqueio remoto”. A versão anterior incluía a função “rastreamento do veículo” no equipamento. Cronograma Esta “operação assistida” vai dar o primeiro passo no projeto de implantação do dispositivo antifurto nos veículos novos.

O governo espera que com a ferramenta ajude a coibir o roubo e furto de automóveis no país. Os testes serão monitorados pelo Contran até que o cronograma de implantação obrigatória seja colocado em prática. Pela nova determinação, a partir de 1° de fevereiro de 2010, 20% da produção total destinada ao mercado interno. O cronograma prevê um aumento progressivo da frota com o dispositivo antifurto. De acordo com o Contran, a partir de 1° dezembro de 2010, o equipamento estará em 100% da produção total destinada ao mercado interno.

Fonte: g1, www.g1.com.br