Corpo de Bombeiros comprova redução de incêndios no Piauí

Corpo de Bombeiros comprova diminuição de queimadas em todo o estado do Piauí

A incidência de chuvas no Sul do Estado e a influência da Zona de Convergência de Umidade (ZCOU) vinda do Oceano Atlântico favoreceram a diminuição nas ocorrências de queimadas em todo o Piauí. Segundo dados fornecidos pelo coronel Manoel Santos, comandante geral do Corpo de Bombeiros, houve uma queda em mais da metade dos casos de agosto a outubro deste ano. Caindo de 254 para 166 as ocorrências de queimadas no mato entre estes meses, com previsão favorável para novembro.

De acordo com a gerente de meteorologia da Secretaria do Meio Ambiente e Recursos Hídricos do Piauí (Semar), Sônia Feitosa, o início do período chuvoso no Sul do Estado e o aumento da umidade de ar de 12% para o patamar de 35% influenciaram, decisivamente, na diminuição do surgimento de novas queimadas. ?A zona de convergência vinda do Atlântico não chega até o Piauí, mas a sua influência é sentida em toda a região Nordeste. Esse fator e o início do período chuvoso, já caracterizado no Sul do Estado, favoreceram, sem dúvida alguma, a queda das queimadas?, afirma Sônia.

Sônia Feitosa diz ainda que apesar da previsão de chuvas para o final deste ano e início do próximo ser abaixo do esperado, com uma provável redução de 40%, ou seja, uma média menor do que a de 2011, a presença das chuvas alivia, significativamente, o clima. ?Os beneficiados não são apenas os municípios como Alvorada do Gurguéia, Caracol, São Raimundo Nonato, São João do Piauí e Canto do Buriti, aonde as chuvas já chegaram, mas sim todo o Piauí, pois a temperatura cai de uma forma geral?, explica.

Fora os casos de queimadas, o problema mais recorrente registrado pelo Corpo de Bombeiros refere-se ao atendimento pré-hospitalar e a princípios de incêndios em residências. ?Houve uma sensível redução nas ocorrências de queimadas no mato e em terrenos baldios, caindo de 100 para 5 os casos registrados por dia. Agora as chamadas concentram-se em atendimentos pré-hospitalares e incêndios em residências?, destaca o coronel Manoel Santos.

Fonte: CCOM