Atendimentos a vítimas de arma de fogo crescem

Atendimentos a vítimas de arma de fogo crescem

Os acidentes continuam sendo um dos principais motivos de entradas nos hopitais

Os acidentes de trânsito continuam sendo os principais motivadores de atendimentos no Hospital de Urgências de Teresina (HUT), mas outro fator já começa a causar mais preocupação na direção da unidade: o aumento de atendimentos a vítimas de arma de fogo.

Do começo de janeiro ao fim de maio deste ano, foram 299 atendimentos desta natureza, contra 176 ocorrências registradas no mesmo período do ano passado.

De acordo com a diretora geral do HUT, Clara Leal, esse aumento não chega a modificar a rotina e a capacidade de atendimento do hospital, mas preocupa porque significa um aumento da violência.

Por outro lado, os atendimentos feitos a vítimas de agressões feitas com objetos perfurocortantes registraram uma pequena diminuição, caindo de 366 casos no ano passado para 337 ocorrências em 2012.

A diretora também falou sobre a situação atual do hospital. Segundo ela, o HUT tem cerca de 120 pacientes acomodados em macas. ?Essa situação compromete o conforto e a humanização do atendimento.

Mas por mais que saibamos dessas dificuldades, temos a consciência de que pior seria recusar atendimento a essas pessoas. Se tivéssemos mais hospitais, faríamos o encaminhamento de todos esses pacientes, mas o problema é de demanda?, disse ela.

O HUT fez, nos cinco primeiros meses de 2012, 665 transferências de pacientes para o Hospital Getúlio Vargas, trabalho operacionali-zado com o auxílio da central de regulação de leitos, que encaminha ao HGV pacientes de alta complexidade que passam pelo hospital de urgências.

Já para o Hospital da Polícia Militar (HPM), que recebe os pacientes com fraturas e traumas mais simples, o número de transferências chegou a 875 pacientes.

Foram 41 transferências para o Instituto Doutor Natan Portela, seis para o Hospital Infantil e 346 para as unidades de saúde do município, além de 376 pessoas encaminhadas para hospitais particulares.

O total geral de atendimentos de janeiro a maio no HUT alcançou o número de 31.108 (foram 73.405 pessoas atendidas ao longo de todo o ano de 2011).

Nos cinco primeiros meses deste ano, foram 6.155 pessoas atendidas em virtude de acidentes de trânsito, sendo 5.049 de moto, 544 de carro e 562 vítimas de atropelamento. Diariamente, o HUT atende a cerca de 200 pessoas, podendo chegar a 300 nos finais de semana prolongados e também em feriados.

Essa rotina gera um custo mensal de cerca de R$ 6 milhões, frente a uma arrecadação de apenas R$ 1,3 milhão por mês.

Fonte: Dowglas Lima