Cria passa por dificuldades e funcionários tem salários atrasados

Ela sobrevive apenas por meio de doações de colaboradores mensais.

CONFIRA A REPORTAGEM COMPLETA NA EDIÇÃO DESTE SÁBADO (9) DO JORNAL MEIO NORTE

Por: Aline Damasceno

O Centro de Reintegração Familiar e Incentivo à Adoção (CRIA) está passando por sérias dificuldades financeiras. Por conta disso, a Organização Não Governamental não está conseguindo manter os gastos, os funcionários estão com salários atrasados e as famílias carentes estão sem receber bolsa.

A Organização luta pela causa da adoção e da garantia do direito de toda criança e adolescente de viver em família. Ela sobrevive apenas por meio de doações de colaboradores mensais e da renda do bazar permanente.

Em quase seis anos de atuação, o Cria já retirou mais de 50 crianças e adolescentes de abrigos e os inseriu em famílias acolhedoras, que é um programa desenvolvido e bancado pela própria instituição. O projeto financia bolsas para as famílias mais carentes que desejam acolher jovens em seus lares, mas que por motivos financeiros seriam impedidos de levar uma criança ou um adolescente para casa.

Fonte: Aline Damasceno