Cria realiza exposição fotográfica na Ufpi

O Cria é uma instituição jurídica sem fins lucrativos, formada com o apoio de voluntários

?A base da sobrevivência de uma pessoa é a família; mas não é qualquer família, ela tem que ser bem estruturada?. Com essas sábias palavras, a advogada Cristiane Macambira expressou bem a ideia do Centro de Reintegração Familiar e Incentivo à Adoção.

O Cria é uma instituição jurídica sem fins lucrativos, formada com o apoio de voluntários, que trabalha para melhorar a vida das crianças que vivem em abrigos no Piauí. A proposta do centro é diminuir a burocracia e promover uma aproximação entre as pessoas e as ações como o trabalho voluntário e a adoção.

Para manter a discussão sobre esses temas na sociedade e levar ao conhecimento do grande público as vantagens do voluntariado e da adoção para essas crianças, o Cria realiza uma exposição com fotografias de mães que abriram o coração para adotar novos filhos.

A mostra de fotografias está acontecendo no espaço interno da Biblioteca Comunitária Jorn. Carlos Castelo Branco, na Universidade Federal do Piauí desde a quarta-feira, dia 16, e fica até a sexta, dia 18. As imagens expostas mostram casos de famílias que encontraram na adoção uma maneira de se completarem.

Dentro da exposição, ainda há também um ponto de informação sobre as atividades e projetos do Cria. Ponto este onde os interessados em conhecer a realidade da Ong podem tirar dúvidas e até se inscrever para visitar o centro ou preparar um projeto para atender às crianças da maneira que puder.

A advogada Cristiane Macambira, que tem três filhos, se interessou bastante pela ideia dos projetos do Cria e se cadastrou para visitar a Ong. Segundo ela, se dedicar no trabalho com essas crianças é algo que se relaciona com a vontade de se doar do ser humano. ?Não é porque você tem filhos que você vai se distanciar dessa realidade. Eu participo e peço que meus filhos participem também; é até uma maneira de agradecer pelo que temos.?, e completa: ?Você acaba fazendo bem à criança e a você.?

Fonte: Assessoria